Alexandre Baldy diz que não concorda com rodízio na capital paulista

Publicado em: 8 de maio de 2020

Secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, durante sessão na ALESP. Foto: Divulgação.

De acordo com o secretário, Prefeitura de São Paulo não consultou o Governo do Estado sobre a medida

WILLIAN MOREIRA

O Secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, usou sua conta pessoal no Twitter para se manifestar contra o rodízio municipal de veículos na cidade de São Paulo, que entra em vigor na próxima segunda-feira, 11 de maio de 2020.

“Não estou de acordo com o novo rodízio de carros anunciado pela Prefeitura de SP e compartilho com vocês que a STM não participou do debate sobre a medida”, disse, na rede social.

WhatsApp Image 2020-05-08 at 15.28.56

Mesmo assim, Alexandre Baldy, afirmou que tem o compromisso de executar um plano para atender aos cidadãos que precisarem dos trens da CPTM, Metrô ou ônibus da EMTU, para que o transporte atenda o aumento esperado da demanda de passageiros.

Em entrevista a TV Band nesta quinta, 07, o secretário disse que é esperado um aumento entre 25 a 30% na demanda de passageiros no horário de pico, reflexo direto do rodízio.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Toda medida é válida com relação à uma situação crítica que, não só SP vive, mas é o mundo inteiro que envolve vidas,,,Se não tentar peca…melhor tentar então, se não der certo , planeje outro sistema… Agora em caso de profissional da saude que tem carro par/ em dia impar, ou impar em dia par, não poderia sequer pedir UBer de placa de acordo com dia? O gasto que ele terá com UBer talvez seja menor que encher o tanque do dia em seu carro,,Questão de planejamento,,,,,o Brasileiro precisa dar sua cota de contribuição, e não forjar situações ilegais,,,

  2. Tiago gamarra disse:

    Sua a favor de que medidas de contenção como essa fosse feita junto a empresas e municipie. Afinal o povo não quer ser refém de uma máquina de multa chamada Detran.querem captar fluxo de caixa pós quarentena.como diz a reportagem o virus passará a ser mais visível nas metrópoles vizinhas já que moradores dessas regiões vão passar a circular mais nos transportes público. Fico muito triste em ver o povo prisioneiro. Privado do direito de ir e vir .
    O virus é uma realidade ,mas a miséria e a fome sao mais reais .Não existe país preparado para este virus .todos estamos propensos ao contagio muitos não sobreviverão. Está será a era do mais forte está e a realidade

Deixe uma resposta