Prefeitura de Taubaté é notificada por empresa sobre possível greve no transporte público

Publicado em: 7 de maio de 2020

ABC Transportes é responsável pela operação dos ônibus na cidade. Foto: Divulgação.

Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Vale do Paraíba fará assembleia nesta sexta-feira

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Taubaté, no interior de São Paulo, informou que a Secretaria de Mobilidade Urbana foi comunicada nesta quarta-feira, 06 de maio de 2020, pela ABC Transportes da possibilidade de uma paralisação do transporte público da cidade.

Desta forma, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Vale do Paraíba informou a realização de assembleia na próxima sexta-feira, 08.

Com as medidas tomadas pelo Estado e pelo município para combater a pandemia do novo coronavírus, evitando a aglomeração de pessoas e consequente suspensão da gratuidade de idosos e estudantes, houve redução de 88% da demanda pelo transporte público na cidade, segundo a Prefeitura.

Em função disso, a ABC Transportes informou o não pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos funcionários, prevista para o dia 30 de abril, e a falta de recursos para cobrir a folha de pagamento no dia 7 de maio. Por esse motivo, a categoria cogita uma greve.

ACORDO

A Prefeitura de Taubaté informou que apresentou um acordo para o adiantamento do subsídio deste ano a fim de minimizar os impactos apresentados pela empresa.

“Esta decisão visa o bem-estar da população que, mesmo nesse período de isolamento social, ainda utiliza o transporte público para trabalhar em frentes importantes, como saúde e serviços essenciais, além dos estudantes, que tiveram a gratuidade retomada para buscar o kit alimentação nas escolas”, informou a Prefeitura.

Também será solicitada pela Prefeitura, por meio de medida cautelar, a manutenção do serviço em pelo menos 30%, assim como pedido de retomada do transporte complementar.

“A Secretaria de Mobilidade Urbana orienta que, no caso de uma eventual paralisação, os munícipes busquem outras formas de transporte quer seja por meio de aplicativos, mototáxi e táxi, entre outros.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta