MP pede que Bruno Covas explique rodízio de veículos mais rígido previsto para a partir de segunda-feira, 11

Publicado em: 7 de maio de 2020

Prefeitura quer desestimular deslocamentos

Restrição será pelos finais pares ou ímpares das placas, vigorando 24 horas por dia e em todas as vias da cidade

ADAMO BAZANI

Os promotores Roberto Luís de Oliveira Pimentel e Camila Mansour Magalhães da Silveira, da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo, do Ministério Público do Estado de São Paulo, exigiram que a prefeitura de São Paulo explique em 48 horas os critérios e os impactos previstos para o novo rodízio municipal de veículos que deve entrar em vigor a partir de segunda-feira, 11 de maio de 2020.

Para desestimular os deslocamentos e contribuir para a redução do contágio da Covid-19, o prefeito Bruno Covas determinou que a restrição passará a ser de acordo com os finais das placas e os dias serem pares ou ímpares. Pelo novo modelo, se o carro for de placar final par só poderá rodar em dias pares. O rodízio passará a ser de 24 horas e vigorar em todas as vias da cidade. Para compensar, o prefeito ainda disse que serão colocados mais mil ônibus em circulação.

O Inquérito Civil nº 14.279.74/2020 quer respostas para os seguintes questionamentos:

  1. a partir de quando vigorará o rodízio e por quanto tempo se planeja adotar a restrição;
  2. em que aspectos ele seguirá o mesmo regulamento do que era realizado antes da pandemia de covid-19 e em que aspectos houve alterações. Em caso de alterações, e quanto a elas, deverá ser especificado quais as regras para restrição de circulação de veículos particulares nesta Capital, com detalhamento dos horários, dias e finais de placas;
  3. deverá, ainda, ser informado como e por quais meios de comunicação se darão os devidos esclarecimentos à população com relação a todos os aspectos da medida, inclusive para que se evitem novas aglomerações e transtornos em meio à pandemia de covid-19 ora enfrentada no país;
  4. os estudos e planejamento que basearam a retomada do rodízio, bem como, pormenorizadamente, os objetivos a serem atingidos;
  5. o planejamento do rodízio para que não haja prejuízos à circulação de veículos e profissionais relacionados aos serviços essenciais, principalmente de saúde e segurança (ou seja, se será feita a identificação dos profissionais de saúde e de segurança e dos prestadores de outros serviços essenciais, bem como em que aspectos tais veículos e profissionais estarão isentos do rodízio e como serão liberados da medida, se o caso, de forma a se evitarem transtornos e embaraços à sua circulação);
  6. em face da notícia de aumento da frota de ônibus em virtude da retomada da restrição à circulação de veículos particulares, em que se baseou o estabelecimento do número de veículos (ônibus) que será disponibilizado para reforço da frota de transporte coletivo, ou seja, com base em que estudos ou planejamento se estabeleceu o número de ônibus a mais em circulação a partir da retomada do sistema de rodízio, para não haver superlotação e, consequentemente, se evitar a propagação do Novo Coronavírus no transporte coletivo.

SEM DIÁLOGO:

O anúncio do rodízio mais rigoroso por parte da prefeitura criou um mal estar em parte do governo do Estado de São Paulo.

A volta do rodízio municipal de veículos em são Paulo, ainda mais rigoroso marcada para segunda-feira, 11 de maio de 2020, não foi comunicada pela prefeitura aos gestores de transportes do estado.

É o que disse o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em entrevista à TV Bandeirantes.

A preocupação é que muita gente que trabalha na capital paulista e atualmente está usando carro, mora em cidades da Grande São Paulo, como no ABC, Mogi das Cruzes, Osasco e Guarulhos, por exemplo.

Segundo Baldy, a estimativa é de que a demanda dos ônibus metropolitanos gerenciados pela EMTU, trens da CPTM e dos trens do Metrô, aumente de 25% a 30%, pelo menos, nos horários de pico.

O secretário disse que já conversa com os responsáveis pela EMTU, CPTM e Metrô para tomar medidas com o objetivo de aumentar a frota de ônibus e trens.

A preocupação é principalmente com os horários de pico.

O NOVO RODÍZIO:

No início da tarde desta quinta-feira, 06 de maio de 2020, o prefeito Bruno Covas anunciou um rodízio mais rigoroso para desestimular os deslocamentos e o avanço do contágio da Covid-19.

A prefeitura afirmou que a frota municipal de ônibus gerenciados pela SPTrans vai ser reforçada em mais mil veículos em circulação.

Serão proibidos de circular na cidade por 24 horas veículos de acordo com o final de placas pares ou ímpares.

O sistema vai funcionar da seguinte maneira: nos dias pares podem circular carros com placas finais pares e nos dias ímpares carros com placas de finais ímpares.

Por exemplo:

dias pares podem circular carros com placas de finais 0,2,4,6 e 8

dias ímpares podem circular carros com placas de finais 1,3,5,7 e 9

A medida vale também para os sábados e domingos

Assim ficará:

Carros com placas de finas 0, 2, 4, 6 ou 8 podem rodar nos dias 2, 4, 6, 8, 10, 12, 14, 16, 18, 20, 22, 24, 25, 28 e 30

Carros com placas de finas 1,3,5,7 ou 9 podem rodar nos dias 1,3,5,7,9,11,13,15,17,19,21,23,25,27,29 e 31.

O rodízio valerá para toda a cidade e não apenas para o centro expandido.

Volta também a zona Máxima de Restrição de Veículos para caminhões. Só estarão liberados os caminhões de entregas de abastecimento e de materiais médicos.

Profissionais de saúde devem se inscrever pelo e-mail: isencao.covid19@prefeitura.sp.gov.br

Toda a categoria do setor de saúde pode, enviando das imagens dos documentos de trabalho e pessoais, contar com a isenção, como médicos, fisioterapeutas, técnicos de exames, farmacêuticos e profissionais que prestam serviço de apoio a este setor.

Declarações de hospitais, clínicas e outras unidades de saúde que comprovem o trabalho também devem ser mandados em anexo, além das imagens da CNH – Carteira Nacional de Habilitação, documentos e dados dos veículos.

São dez dias corridos para fazer a solicitação.

Caso o profissional seja multado nestes dez dias, poderá pedir o cancelamento da multa.

Os demais veículos que não tinham restrição continuarão liberados.

O prefeito Bruno Covas também falou que além dos mil ônibus a mais nas ruas, 600 coletivos ficarão em bolsões estacionados para serem acionados se necessário.

A validade do novo rodízio é enquanto durar o estado de calamidade pública pela Covid-19.

As medidas são para desestimular os deslocamentos desnecessários e evitar o “lockdown” segundo Bruno Covas.

Os casos do novo coronavírus estão avançando em São Paulo e a população não está respeitando o isolamento social, que tem ficado abaixo de 50%, índice crítico de acordo com as autoridades de Saúde, já que não há vacinas e remédios comprovados contra o novo coronavírus e as UTIs estão chegando a seu limite com cerca de 90% de ocupação.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. RodrigoZika disse:

    Por serem automóveis que poluem sou a favor disso, não entendo o tal explicar.

  2. Luiz Fernando disse:

    Com as pessoas deixando os carros em casa, terão que usar transporte coletivo. A pergunta é: onde seria maior o risco de contágio? No interior do seu veículo ou no transporte público?
    Mais: qual será o aumento da demanda por transporte público? Os ônibus colocados em circulação serão suficientes?
    Temos 5,7 milhões de automóveis (dados de 2018, IBGE) na cidade de São Paulo. Consideremos que somente 1/3 destes veículos circulem todos os dias: 1,9 milhão de veículos. Admitindo somente uma pessoa por veículo, a cada dia teríamos 950.000 pessoas a mais necessitando de transporte público.
    Em 2017, TODA a frota de ônibus da cidade (~14500 ônibus de todos os tipos) tinha a capacidade para transportar, aproximadamente, 1,2 milhão de pessoas por dia (https://diariodotransporte.com.br/2017/07/28/frota-de-onibus-de-sao-paulo-articulados/). 1600 ônibus a mais, se forem todos bi-articulados (o que é impossível, dadas as características das ruas da cidade), transportarão cerca 310.400 pessoas, totalmente lotados. Onde o prefeito colocará mais de 600.000 pessoas/dia?

  3. Carlos Ribeiro disse:

    Quem trabalha em turno 12 por 36, irá de carro e voltará à pé, não estamos em estado de sítio
    Lembrando que o transporte público tem ar condicionado e o vírus se propaga melhor no frio, está rasgando a constituição do direito do cidadão de ir e vir parágrafo 5º inciso 15°, acredito que o único beneficiado são as grandes companhias de transporte público, a linha 15 prata já faz mais de 2 meses que está operando no PAESE.

  4. Lucio Mdasilva disse:

    Bom eu só quero entender, no caso eu trabalho com transporte público, saio de casa as 2:30, como vou conseguir chegar no meu trabalho ,dependo do meu carro, sendo assim muitas pessoas vão ficar sem ônibus, pois quem mora longe como eu, não conseguirá chegar no horário.

  5. Luiz Aleixo disse:

    Eu trabalho a noite como segurança noturno, utilizo o carro pro trabalho pois venho da cidade de Osasco até a Lapa … sendo que placa é ímpar … é preciso trabalhar e retornar pro meu lar descanso merecido… o que fazer 🤷🏻‍♂️ Se eu dependo do veículo…. é um absurdo esse tal prefeito está fazendo com povo …. cadê a justiça desse estado que não entrou com providências …. medidas deveriam ter sido tomadas já que milhares de trabalhadores serão afetados injustamente…. com o risco de perder o emprego…. que anda tão difícil nesse momento tão crítico que vivemos …. que seja tomada providências o mais rápido possível que mude esse quadro e derrube essa idiotice desse prefeito idiota … se sentindo indignado

  6. Michele Araújo disse:

    Gostaria de saber como os carros de Pet Shop podem fazer para continuar trabalhando, uma vez que ao fazermos entrega na casa do Cliente ou ao retirar e devolver o Pet na casa da pessoa estamos evitando que está pessoa saia da sua casa.

  7. Gisele T disse:

    Eu ainda não consegui entender o porque desse rodizio se as pessoas ainda estão confinadas em casa, não tem lógica restringir mais ainda. No carro particular a pessoa está sozinha e higieniza a maçaneta a direção, usa a máscara….etc, controlando o contagio. Estando num ônibus lotado existe um maior risco de contaminação. O cuidador do meu pai mora em Diadema. A condução para São Paulo é muito precária. O ônibus vem lotado, o risco de contaminação não é bem pior.? Com essa medida ele vai ter que deixar o carro em casa e vir de ônibus. Como fica? O que fazer? Ele pode ter isenção na placa do carro?

  8. Everton Faria disse:

    Esse prefeito é ridículo! Um verdadeiro palhaço!
    Queria ver o incentivo aos empregadores para “dispensar” dia sim dia não seus funcionarios que dependem de seus veículos, ou melhor, uma justificativa plausível que mostre que essa medida não vai aumentar as aglomerações dentro dos transportes públicos!
    Afina, faz todo o sentido do mundo que em um momento de afastamento social por causa de uma enfermidade altamente contagiosa, obriguemos a população a utilizar transportes coletivos!
    Mas é claro que me esqueci da obrigatoriedade do uso de máscaras, que são comprovadamente eficazes contra o contágio do covid. Falar e impor algo assim, tão imbecil, é fácil para o Sr. Bruno Covas que certamente não vai para a prefeitura de ônibus ou metrô!
    Isso para mim só vai servir para aumentar o contágio do covid na população e também alimentar a arrecadação da nossa já conhecida indústria da multa da transito!

    Lamentável.

  9. JailtonMiranda da Silva disse:

    Meu nome é jailton isso é uma palhaça a maior parte das pessoas vão de carro sozinha trabalhar agora esse palhaço que lotar os trens e ônibus aí que as pessoas vão ser contaminadas mesmo os caras que ser tão inteligentes só faz besteira

  10. JailtonMiranda da Silva disse:

    Não tem alguém que pode rever isso aí vamos pedir o ministério público estadual que revogue essa lei desse prefeito não é possível uma coisa dessa alguém pode fazer alguma coisa o povo vai morrer tu contaminado! Meu Deus.

  11. Irani disse:

    Com este rodízio,a contaminação só vai aumentar,deixar de andar sozinho no seu carro,pra andar junto e misturado dentro do anibus,encostados um no outro,mais juntos do que nunca,esse governador tá querendo acabar com o humanidade mais depressa, assim haverá mais contágio, mais mortes, é sair da frigideira direto pro fogo,cada uma,só Deus deixar de andar de carro próprio,pra andar de ônibus,tudo juntos, é hilário,parabéns governador

  12. FABIO DA SILVA COSTA disse:

    Esse governo e uma vergonha me fala uma coisa quem liberou o carnaval pra que espalhace esse viros quem foi ,se eles quisecem salva a umanidade terião interditado o carnaval serto no meu pensamento todos esses presidentes sabia que isso ia acontecer eles sabem mais ou menos quantos vão morrer isso e pra diminuir um pouco da população de cada país isso é jogada política,quem sofre Samos nois há população de pouca renda eles vivem do luxo que o Estado estrega pra eles Veja o presidente tá preocupado com a população tá nada tá em lazer de jet, nós somos Brasileiros temos que acordar.

    ,
    nós

  13. Adalto Cândido da Silva disse:

    Jente eu tenho 2 carro par e amanhã vou ter que pegar transporte público que é uma com certeza eu corro muito risco . Só esse palhaço de Bruno covas que há está com o pé na cova quer fazer as pessoas correr esse risco .

  14. Gesse Pontes França disse:

    Esse prefeito e ridiculo eu trabalho na area de manutençao em uma empresa no horaria das 22:12 as 07:00 da manha ir com o meu carro quando a placa e impar mais ao sair e final par e como voltar para casa ? Ele fala de uso de mascara esta no grupo de risco mais ao dar entrevista nao uso mascara esse e um otario

  15. VALERIO TORRES disse:

    Levo minha sogra para fazer hemodiálise no Beneficiência Portuguesa de SP, todas terças/quintas/sábado, fiz o cadastro para isenção do rodízio no site SP156, o prazo de deferimento é de até 30 dias….um absurdo.

  16. Denner Sobral F. disse:

    No ônibus, metrô e trem, se haver uma 1 pessoa contaminada, ela pode transmitir o Corona solto pela respiração no ar, todos vão respirar o mesmo ar, pela mãos se não estiverem higienizadas, nos suportes de segurar as mãos, e ao sentar nos bancos, se a roupa estiver contaminada, 1 pessoa contamina 2 pessoas, assim façam o cálculo. Com esse decreto brilhante de nossos queridos políticos o transporte público que já está defasado sofre um aumento de passageiros, qual não comporta, onde logicamente vai aumentar o contágio.Sendo assim vai ser necessário o Lockdown.

  17. Jurandir Z. disse:

    Esse rodízio é uma arapuca para que todos passageiros sejam contaminados.

  18. Marli disse:

    Meu IPVA virá pela metade, certo? Já que só posso usar meu veículo por 182 dias no ano…

Deixe uma resposta