Isolamento social foi de 47% na segunda-feira, 04, em São Paulo

Publicado em: 5 de maio de 2020

Índices abaixo de 50% preocupam especialistas em Saúde e abertura no dia 11 na capital e grande São Paulo está comprometida

ADAMO BAZANI

O isolamento social em São Paulo foi 47 % na segunda-feira, 04 de maio de 2020, o dado mais recente do sistema de monitoramento da circulação de celulares, que é uma parceria entre o Governo do Estado e empresas de telefonia móvel.

Com índices constantemente inferiores a 50%, a abertura gradual de algumas atividades econômicas não essenciais esperada para o dia 11 pode ser realizada somente depois desta data ao menos na capital e na Grande São Paulo.

Os casos de Covid-19 estão crescendo de maneira rápida desde a última semana, assim como o número de mortes.

Como não há vacina e remédios comprovados contra o novo coronavírus e as estrutura dos hospitais está perto do limite, em especial das UTIs, o isolamento social é a única medida cientificamente conhecida para evitar que muita gente se contagie ao mesmo tempo e precise dos hospitais ao mesmo tempo, colapsando o sistema de Saúde, tanto público como privado.

De acordo com o secretário de Saúde do Estado de São Paulo, José Henrique Germann, já são 34.053 casos e 2.851 óbitos até o início da tarde desta terça-feira, 05 de maio de 2020. Em todo o Estado de São Paulo, ainda de acordo com o secretário, a taxa média de ocupação das UTIs  é de 68,9% e na Grande São Paulo é de 87,9%.

Neste momento são 8800 internados em todo o Estado de São Paulo, entre pacientes suspeitos e já confirmados.

“Se as taxas de isolamento continuarem abaixo de 50%, em um mês, teremos grandes problemas de atendimento de Saúde. Nós vamos ter dificuldades com os municípios que fazem divisa com o Estado de São Paulo. Nós teremos dificuldades para atender os pacientes do Estado e também moradores de cidades vizinhas ao estado.” – disse na entrevista coletiva do início da tarde desta terça-feira, o coordenado do centro de contingência da Covid-19 no Estado de São Paulo, o médico infectologista David Uip.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta