Bloqueios em quatro vias de São Paulo para evitar deslocamentos desnecessários em época de pandemia provocam lentidão

Publicado em: 4 de maio de 2020

Radial Leste, uma das vias com o bloqueio parcial. Foto: Portal Sampa On Line (Imagem apenas ilustrativa)

Obediência ao isolamento necessário para impedir o avanço da Covid-19 tem alcançado índices insatisfatórios

ADAMO BAZANI

A CET – Companhia de Engenharia de Tráfego da cidade de São Paulo bloqueou quatro vias de grande movimentação para desestimular os deslocamentos desnecessários neste momento em que o avanço da pandemia da Covid-19 no Brasil se intensifica.

Mesmos antes do fechamento, ainda com a preparação dos bloqueios, já havia registro de lentidão nos locais. De acordo com a prefeitura, este foi mesmo o objetivo, criar uma dificuldade para fazer com que só mesmo quem precisa se deslocar saia de casa.

As vias parcialmente fechadas nesta segunda-feira, 04 de maio de 2020, das 7h00 às 09h00, com apenas uma faixa liberada para veículos comuns são:

– Zona Sul: Av. Moreira Guimarães (B/C) x Av. Miruna;

– Zona Norte: Av. Santos Dumont (B/C) x Av. do Estado;

– Zona Leste: Av. Radial Leste (B/C) X Rua Pinhalzinho;

– Zona Oeste: Av. Francisco Morato (B/C) x Rua Sapetuba.

Ônibus urbanos e metropolitanos, ambulâncias, carros de socorro em geral e veículos de serviço funerário não são submetidos aos bloqueios.

Segundo a prefeitura de São Paulo, se a população continuar não cooperando com o isolamento, mais bloqueios poderão ser feitos, como impedir a circulação total nestas vias e prolongar o fechamento pelo dia todo.

O índice de isolamento ideal para evitar um colapso na rede de saúde, com várias pessoas infectadas ao mesmo tempo, é de 60% a 70% de acordo com as autoridades do setor em São Paulo.

Em dias úteis, esse índice tem sido menor que 50%, de acordo com o sistema de monitoramento dos celulares do Estado de São Paulo. O resultado: mais de 85% de ocupação das UTIs na capital e Grande São Paulo e aumento acelerado do número de contagiados e mortos.

MÁSCARAS NOS TRANSPORTES:

Também a partir desta segunda-feira, 04 de maio de 2020, o uso de máscaras passa a ser obrigatório nos ônibus comuns e seletivos gerenciados pela EMTU, nos trólebus e ônibus da Metra no Corredor ABD, nos trens da CPTM, no Metrô, nos ônibus da cidade de São Paulo gerenciados pela SPTrans e nos ônibus rodoviários ou suburbanos do sistema da Artesp.

A medida é para evitar um crescimento ainda maior do número de casos de Covid-19.

Os passageiros sem máscaras serão impedidos de entrar nos ônibus, trens, estações e terminais.

No caso dos ônibus da cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas disse que as empresas serão multadas em R$ 3,3 mil por dia e a cada veículo com passageiro sem máscara.

Já no caso dos taxistas ou motoristas de aplicativos, a multa é de R$ 150 por dia e por veículo.

GRANDE SÃO PAULO:

Algumas cidades da Grande São Paulo também decretaram a obrigatoriedade do uso de máscaras em ônibus municipais, táxis e carros de aplicativo.

Veja exemplos:

São Caetano do Sul: já em vigor

Guarulhos: já em vigor

Osasco: já em vigor

Cotia: já em vigor

Suzano: já em vigor

Embu das Artes: já em vigor

Santo André: já em vigor

Ribeirão Pires: já em vigor

Mauá: a partir de 09 de maio

CUIDADO COM AS MÁSCARAS:

As máscaras podem reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus, mas devem ser manuseadas, colocadas e retiradas de forma correta:

– Guarde as máscaras limpas em sacolas plásticas higienizadas;

– Antes de colocar, lave bem as mãos e, de preferência, o rosto também;

– Não coloque as mãos no pano. Sempre manuseie pelo elástico ou cordão;

– Ajuste pelas bordas, se necessário, a fim de ficar confortável o uso, mas desde que boca e nariz fiquem bem cobertos;

– Se precisar tirar, lave as mãos, coloque em outra sacola plástica só tocando no elástico ou cordão, e lave as mãos de novo;

-Ao chegar em casa, coloque a máscara num recipiente com água sanitária, água e sabão em pó, deixando por meia hora. Depois lave com sabão em pedra esfregando bem, mas sem danificar o tecido, e coloque para secar preferencialmente no sol;

– Guarde em uma sacola plástica esterilizada.

E lembre-se, máscara nunca deve ser usada no queixo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta