São Gonçalo (RJ) prorroga restrições de isolamento social e mantém redução de 50% da capacidade de lotação no transporte público

Publicado em: 1 de maio de 2020

Coletivos devem circular com janelas destravadas e abertas, de modo que haja plena circulação do ar. Foto: Matheus Souza

Decreto determina ainda obrigatoriedade do uso de máscara facial nos ônibus e para todos os trabalhadores e clientes de estabelecimentos autorizados a funcionar

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de São Gonçalo, município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro com cerca de 1 milhão de habitantes, prorrogou as medidas para enfrentamento da situação de emergência de saúde pública, em decorrência no novo Coronavírus (Covid-19).

As restrições aos comércios vigoram até o dia 11 de maio, com possibilidade de extensão, seguindo o prazo estipulado pelo Governo Estadual.

De acordo com o decreto municipal, assinado nesta quinta-feira, 30 de abril de 2020, passa a ser obrigatório o uso de máscara facial para todos os trabalhadores vinculados aos estabelecimentos autorizados a funcionar, bem como seus respectivos clientes.

O uso da máscara é obrigatório, segundo o decreto, “independente da faixa etária ou da condição de saúde do cidadão, podendo as máscaras serem fabricadas em tecido de forma caseira, conforme orientações do Ministério da Saúde, caso o cidadão queira utilizar-se de espaços abertos públicos e privados, inclusive os comerciais”.

O decreto considera espaços públicos de uso coletivo “os veículos de transporte público coletivo, de táxi e transporte remunerado individual de passageiros”, ou seja, todos deverão portar máscaras faciais protetivas nos ônibus da cidade.

São Gonçalo, segundo município mais populoso do estado do Rio, mantém a determinação para que o transporte por ônibus opere com redução de 50% da capacidade de lotação. Quando possível, os coletivos devem circular com as janelas destravadas e abertas, de modo que haja plena circulação do ar. O uso de passe livre de estudante está suspenso enquanto durar o decreto.

No caso de pessoas com mais de 60 anos, a prefeitura recomenda situação de distanciamento social, “para restringir a circulação no município”.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta