Isolamento social na quinta-feira antes do feriado foi de 46 %

Publicado em: 1 de maio de 2020

Movimentação na Estação da Luz, centro, nesta semana

Estimativa do Governo do Estado é de que ao menos neste 1º de maio mais pessoas fiquem em casa e evitem a disseminação do novo coronavírus

ADAMO BAZANI

O isolamento social no Estado de São Paulo nesta quinta-feira, 30 de abril de 2020, foi de 46% , o  menor desde o início da quarentena, e bem abaixo do considerado aceitável para evitar um ritmo ainda maior de contágio da Covid-19, que é entre 50% e 60%.

As equipes de Saúde do Governo do Estado, com base na evolução do número de casos, entendem como ideal um nível de isolamento entre 60% e 70%.

O monitoramento é feito com base na movimentação de dados de celulares.

Tanto na capital paulista como nos municípios vizinhos da região metropolitana, as redes de hospitais começam a apresentar sinais de esgotamento.

Alguns hospitais já têm quase 100% de leitos de UTI ocupados e o governo do Estado considera a possibilidade de transferir pacientes da Grande São Paulo para hospitais do interior.

E tudo isso, segundo o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, ocorre sem ao Estado ainda atingir o pico da doença.

O Governo do Estado de São Paulo, diante dos baixos índices de respeito ao isolamento, descartou o relaxamento da quarentena a partir de 11 de maio para a região metropolitana.

A possibilidade de haver abertura parcial do comércio na região é se, em dias seguidos, os índices passarem de 50% até lá.

A prefeitura de São Paulo deve endurecer as regras de restrição de circulação, inclusive com o fechamento total ou parcial de vias de grande movimento como a Radial Leste, Rubem Berta, Santos Dumont e Francisco Morato.

Na segunda-feira, deve ser bloqueada uma faixa destas vias nos horários de pico e, na terça-feira, mais faixas serão fechadas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. carlos pereira de souza disse:

    Tem que endurecer mesmo, o povo só aprende com a coerção

Deixe uma resposta