Justiça determina retorno dos ônibus em Vitória a partir desta quarta-feira, 29

Publicado em: 28 de abril de 2020

Ônibus da Viação Tabuzeiro, que deve ter, pelo menos, oito veículos nas ruas.

Frotas das empresas Unimar e Grande Vitória devem ser de 100% do programado e da Tabuazeiro, de 30%

ADAMO BAZANI

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Espírito Santo – Setpes informou na tarde desta terça-feira, 28 de abril de 2020l, que a Justiça determinou o retorno às atividades dos serviços municipais de ônibus na capital Vitória.

De acordo com a decisão, a partir desta quarta-feira, 29, devem ser colocados nas ruas 30% da frota programada da Viação Tabuazeiro, que atrasou os salários e benefícios, e 100% dos ônibus escalados das empresas Unimar e Grande Vitória.

A frota escalada está menor que a habitual por causa da queda de demanda devido aos impactos do novo coronavírus, que restringiu a movimentação de pessoas.

Assim, a Viação Tabuazeiro terá de operar com oito ônibus e a Unimar e Grande Vitória com 52 coletivos.

Em nota, o Setpes diz que a decisão determina que seja mantido o número integral de funcionários para esta operação.

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Espírito Santo – Setpes informa que a Justiça do Trabalho, em Liminar publicada nesta terça-feira, 28 de abril de 2020, determina que o SINDIRODOVIÁRIOS mantenha a prestação de serviços dos transportes públicos do Município de Vitória, nos seguintes termos: os empregados das empresas Viação Grande Vitória S/A e Unimar Transportes Ltda., devem manter em circulação a integralidade (100%) da frota programada para circular durante este período de pandemia, uma vez que já se encontra operando de forma reduzida. Quanto aos empregados da empresa Viação Tabuazeiro Ltda., deverá ser mantido o percentual correspondente a 30% (trinta por cento) da frota programada para circular atualmente, também reduzida em razão da pandemia. Os veículos deverão circular com a integralidade de empregados necessários à plena operação das linhas de ônibus.

Como mostrou o Diário do Transporte, a greve na capital começou no dia 23 de abril somente com a Tabuazeiro. No dia 27, pararam os coletivos das outras empresas nas linhas municipais.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta