Greve no transporte coletivo prossegue em Vitória e empresas pedem ajuda à prefeitura

Publicado em: 28 de abril de 2020

Greve começou na Viação Tabuazeiro e depois se alastrou para todo o sistema municipal de transporte. Foto: Leandro de Souza Barbosa

Pedido inclui aquisição de créditos de vale-transporte e pagamento do combustível

ALEXANDRE PELEGI

A greve do transporte municipal de Vitória, no Espírito Santo, prossegue nesta terça-feira, 28 de abril de 2020.

Os ônibus, conhecidos como “verdinhos”, não estão circulando na capital capixaba.

Como mostrou o Diário do Transporte, a paralisação total nos coletivos do Sistema Municipal, que é atendido por três empresas, não tem data para terminar.

A greve tomava apenas uma das empresas concessionárias do transporte urbano, a Viação Tabuazeiro. Desde ontem, 27, a paralisação se estendeu às outras empresas que operam o serviço em Vitória, a Unimar e a Grande Vitória.

Com a adesão, a frota de 79 ônibus que atende a capital deixou de circular.

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado (Setpes), que atrasou os salários, alega dificuldade financeira diante da queda do número de passageiros durante o isolamento social.

Apesar disso, as empresas decidiram ingressar na Justiça para suspender a paralisação dos motoristas e cobradores. O Setpes encaminhou pedido de liminar à Justiça do Trabalho em que pede que os motoristas retomem as atividades nas empresas que não estão com os salários atrasados, no caso a Unimar e a Grande Vitória.

A presidente do Tribunal Regional do Trabalho, Ana Paula Tauceda Branco, determinou a redistribuição do processo.

Na última segunda-feira, 20 de abril, o Setpes já havia se manifestado a respeito da crise no setor de transporte em sua página no Facebook.

Ao mesmo tempo, as empresas entraram com pedido de auxílio emergencial junto à prefeitura da capital. O modelo é semelhante ao adotado em Salvador, que remete à aquisição de créditos de vale-transporte e pagamento de combustível.

A prefeitura de Vitória se manifestou em nota afirmando que avalia o contexto da situação e busca uma solução conjunta com outras secretarias.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta