Transporte público após fim da quarentena é discutido na Região Metropolitana de São Paulo

Publicado em: 27 de abril de 2020

Em São Paulo, frota de ônibus será adequada conforme a demanda da população. Foto: Adamo Bazani.

Em ônibus municipais, trens e no Metrô, frota já está sendo analisada diariamente de acordo com demanda

JESSICA MARQUES

O esquema de operação do transporte público após o fim da quarentena já está sendo discutido na Região Metropolitana de São Paulo. O governador João Doria havia afirmado que o relaxamento do isolamento social poderia ocorrer a partir de 11 de maio de 2020.

Contudo, Doria pode rever a flexibilização da quarentena nesta data, caso o isolamento seja inferior a 50%. A taxa recomendada para a contenção do novo coronavírus é de 70%.

Relembre: Doria pode rever relaxamento de quarentena no dia 11 de maio se isolamento for inferior a 50%

Ainda assim, as medidas sobre transporte público para quando a população retomar às atividades de comércio e serviço já estão sendo avaliadas.

TREM, METRÔ E CAPITAL PAULISTA

Em nota ao Diário do Transporte, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes da capital paulista e a SPTrans informaram que continuam acompanhando o movimento dos passageiros e a frota de ônibus será adequada conforme a demanda da população.

“As informações de mudanças de linhas, funcionamento dos postos e recomendações são disponibilizadas no www.sptrans.com.br/covid-19.”

Com relação a linhas intermunicipais e transporte metroferroviário, a STM – Secretaria dos Transportes Metropolitanos do estado de São Paulo, que gerencia Metrô, CPTM e ônibus EMTU, informou ao Diário do Transporte que neste momento não possui frota fixa em operação e que analisa diariamente o comportamento da demanda.

Ainda de acordo com a Pasta, a quantidade de veículos e composições será alterada de acordo com a quantidade de passageiros.

ABC PAULISTA

No ABC Paulista, o Consórcio Intermunicipal informou que o plano de ações começou a ser traçado na quarta-feira, 22 de abril de 2020, e será apresentado aos prefeitos para aprovação já nesta segunda-feira, 27, em assembleia extraordinária.

As prefeituras também estão se preparando individualmente na região. Em alguns casos, já está sendo feito o monitoramento de demanda do transporte coletivo, para avaliar se a população já está retornando ao trabalho gradualmente.

A Prefeitura de Santo André informou que vem organizando, desde o início da pandemia do novo coronavírus, um monitoramento constante e diário das condições de demanda do transporte coletivo municipal.

“Não há um plano traçado com antecedência, até porque isso depende exclusivamente do comportamento desta demanda com a retomada gradual das atividades. Neste momento, portanto, não há o que se falar em redimensionamento, já que não existe sequer a definição de quais atividades retornarão e de que maneira isso ocorrerá”, informou.

“De todo modo, a SATRANS e a Prefeitura de Santo André continuam monitorando e organizando os modais para que o serviço de transporte coletivo se adeque a essa retomada, quando ocorrer”, completou.

Por sua vez, a Prefeitura de São Bernardo, por meio da Empresa de Transportes Coletivos (ETC), informou que, desde o início das ações de combate ao novo coronavírus, também vem realizando monitoramento diário para ajustes da oferta de ônibus municipais.

“Atualmente, cerca de 50% da frota operacional está em circulação na cidade, em decorrência das medidas de isolamento social. Caso haja necessidade, a frota será ajustada para atendimento da demanda, sempre evitando aglomerações nos coletivos.”

Em Mauá ainda não foi definido o percentual de aumento de frota. “Estamos nos reunindo com Consórcio Intermunicipal para atuar em bloco nas 7 cidades. Todas as demais perguntas estão sendo estudadas e planejadas de acordo com o avanço da pandemia”, esclareceu a Prefeitura.

Da mesma forma, a Prefeitura de Ribeirão Pires aguarda o anúncio do Plano São Paulo para definir as diretrizes relacionadas ao transporte, entre outros serviços que poderão ter a operação atualizada nesse período de enfrentamento ao coronavírus a partir das novas determinações do Governo Estadual.

OSASCO E GUARULHOS

A Prefeitura de Osasco informou que realizará ao longo da semana as reuniões de preparação para o retorno gradual a partir de 10 de maio. Portanto, não há definição específica sobre transporte coletivo.

Por sua vez, a Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana (STMU) da Prefeitura de Guarulhos informou que faz monitoramento diário sobre as atividades do transporte público municipal. “Estudos já estão sendo desenvolvidos para que a demanda, se houver aumento, seja atendida e o os usuários não sejam prejudicados no seu cotidiano.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta