Ilhéus, na Bahia, decreta uso obrigatório de máscaras e determina bloqueio de ruas

Publicado em: 27 de abril de 2020

Guarda Civil de Ilhéus intensificará a ação preventiva para conter aglomeração no município. Foto: prefeitura de Ilhéus (BA)

O objetivo é conter o avanço da contaminação do novo coronavírus, após alarmante crescimento dos casos confirmados de Covid-19 na cidade

ALEXANDRE PELEGI

Diante do alarmante crescimento dos casos confirmados de Covid-19 na cidade de Ilhéus, município da Bahia com mais de 160 mil habitantes, a prefeitura publicou um decreto neste sábado, 25 de abril de 2020, endurecendo as medidas de isolamento social.

Uma das medidas é o uso de máscaras por todos os habitantes, que passa a ser obrigatório a partir desta segunda-feira, 27.

De acordo com o decreto, alguns estabelecimentos essenciais funcionarão em dias intercalados e a prefeitura fará restrições no trânsito.

O uso da máscara facial de proteção será obrigatório nas vias públicas, praças, em veículos, para acesso a estabelecimentos públicos ou privados, seja no trabalho ou não. Qualquer pessoa poderá acionar a polícia para a condução de quem não respeitar a norma à Delegacia de Polícia, podendo ser indiciado ou indiciada por crime contra a saúde pública.

Já a Superintendência de Transporte e Trânsito Mobilidade de Ilhéus (Sutram), realizará blitze para fiscalizar o uso das máscaras pelos munícipes, além de bloquear vias públicas consideradas estratégicas para o controle de circulação de pessoas. O objetivo é reduzir o tráfego, assim como reduzir o número de vagas de estacionamento.

Em comunicado, a prefeitura afirma que os estabelecimentos que desrespeitarem o decreto ou estiverem inadequados, serão multados, podendo o alvará ser suspenso ou cancelado, assim como a licença de funcionamento. “Se necessário, poderá ser realizada a apreensão de bens e usada a força policial para fechamento, e o infrator se responsabilizado civil e criminalmente. A devolução dos bens apreendidos será condicionada ao pagamento da multa, com exceção de alimentos perecíveis, que serão revertidos para instituições beneficentes, como abrigos”, conclui a prefeitura.

Com relação aos bancos da cidade, o decreto determina a obrigatoriedade das instituições apresentarem, em 72h, “plano de ação para descentralização do atendimento em agências, mediante a instalação de postos de atendimento para solução de dúvidas e resolução de demandas, em bairros ou em pontos estratégicos da cidade, evitando aglomerações, sob pena de imposição de multa”.

dec_ilheus_01dec_ilheus_02dec_ilheus_03

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta