Linhas de ônibus em Divinópolis serão reforçadas com reabertura de comércios

Publicado em: 25 de abril de 2020

Ônibus em Divinópolis

Coletivos não poderão transportar passageiros em pé sob risco de multa às empresas

ADAMO BAZANI

A partir desta segunda-feira, 27 de abril de 2020, quando parte das atividades comerciais vai retornar ao funcionamento em Divinópolis, Minas Gerais, a frota de ônibus será reforçada em algumas linhas, mas ainda não vai voltar ao normal.

De acordo com nota da prefeitura, o reforço será entre 6h e 9h, e de 16h às 20 nas seguintes linhas: 04- 09- 10- 14- 17- 21- 21A-24- 27- 43- 61- 71- 104- 111- 112- 138- 153- 156- 159- 141- 142.

A expectativa é de maior movimentação nos ônibus, mas a prefeitura faz uma ressalva: só poderão ser transportados pessoas sentadas. Caso a empresa de ônibus descumpra, pode ser multada.

Na nota, o secretário de Trânsito e Transportes de Divinópolis, Marcelo Augusto, diz ainda que a recomendação é de que os passageiros usem máscaras.

“A partir desta segunda-feira, os ônibus não poderão exceder a capacidade dos usuários sentados. O não cumprimento da regra gera uma notificação para a empresa. É importante ressaltar também, que para a segurança de todos, nós recomendamos que os passageiros utilizem as máscaras, principalmente para os idosos. Como forma de prevenção e cuidado com a saúde pública”, enfatizou.

Quanto à movimentação dos idosos nos ônibus, o secretário informou que 85% dos passageiros com 60 anos ou mais têm evitado usar o transporte coletivo em horários de pico.

“Nós temos acompanhado o fluxo de pessoas idosas nos ônibus urbanos e constatamos que 85% dessa população está consciente, utilizando o transporte público fora do horário de pico. É importante que os mesmos continuem realizando esta medida de prevenção, já que fazem parte do grupo de risco”

As ações de higienização dos ônibus serão mantidas.

A partir de segunda-feira, os estabelecimentos comerciais deverão seguir as seguintes regras, de acordo com nota da prefeitura:

– Definir um responsável por controlar as medidas de segurança e prevenção e treinar os demais funcionários.

– Orientar diariamente os funcionários sobre a importância da lavagem das mãos com a utilização de produtos assépticos durante o trabalho, observando a etiqueta respiratória.

– Verificar diariamente com os funcionários sobre os sintomas da CODIV-19, caso apresente algum sintoma o funcionário deverá ser afastado temporariamente das atividades.

– Interditar o jato inclinado de aproximação bucal dos bebedouros e permitir somente o uso do jato de abastecimento de copos e garrafas.

– Higienizar, as superfícies de toque e equipamentos de uso coletivo (carrinhos, cestos, máquinas de cartão de crédito/débito, maçanetas, corrimão, cadeiras, mesas, macas, equipos, bancadas e etc) no do início das atividades e após cada uso/atendimento, durante todo o período de funcionamento, preferencialmente com álcool líquido ou gel 70% (setenta por cento).

– Higienizar, quando do início das atividades e durante o período de funcionamento, no mínimo por duas vezes ao dia, os pisos e banheiros, preferencialmente com água sanitária.

– Lojas que possuem ar-condicionado deverão se adequar, para forçar a circulação natural de ar, como abrir janelas durante o seu funcionamento e em casos que não seja possível a descontinuidade de uso de ar condicionado, deve haver limpeza e higienização dos aparelhos regularmente.

– Manter disponível “kit” de higiene de mãos nos banheiros, lavatórios e pias, de clientes e funcionários, com a oferta de sabonete líquido e toalhas descartáveis.

– Sinalizar e fiscalizar tanto no interior da loja, quanto no passeio, o distanciamento de dois metros entre clientes aguardando atendimento, e afixar placas ou cartazes orientando os clientes quanto ao espaçamento, a fim de evitar aglomeração de pessoas.

– Implementar comunicação sonora e/ou visual através de cartazes, displays, placas e afins em locais estratégicos, sobre as recomendações do ministério da saúde quanto a limpeza e desinfecção das mãos.

– Nas lojas com entrega no balcão, as mesmas deverão organizar o horário de entrega para evitar aglomerações do lado de fora, mantendo a entrega direta na porta.

– Todo acesso aos estabelecimentos deve ser feito por um único local de entrada e saída, sendo que o acesso de pessoas se dará individualmente e controlado por funcionário designado, e na entrada deverá aplicar álcool líquido ou gel 70%, nas mãos dos clientes ou providenciar pia com sabonete líquido e papel toalha. No seu interior, deve ficar disponibilizado álcool líquido ou gel de forma visível e de fácil acesso, para a devida assepsia. Em lojas com até três atendentes, eles farão este controle e bloquearão o acesso.

– Somente poderá adentrar aos respectivos estabelecimentos o número de usuários correspondentes ao número de atendentes disponíveis.

– Fazer a utilização, se necessário, do uso de senhas ou outro sistema eficaz, a fim de evitar a aglomeração de pessoas dentro do estabelecimento.

– Em lojas de roupas, calçados, acessórios e afins, deve ser evitada a experimentação dos produtos.  Caso não seja possível, a experimentação do mesmo produto por outra pessoa deve respeitar um prazo de 48 horas.

– Todo equipamento e material utilizado para limpeza ou proteção individual deverá ser descartado em dispositivo fechado ou caso seja reutilizável fazer a desinfecção diariamente conforme instruções do Ministério da Saúde.

A prefeitura lembra que as determinações foram construídas seguindo critérios rigorosos de segurança e higiene. E caso os empresários e a população não contribuam para minimizar os riscos de contágio pelo Covid-19, o decreto poderá a qualquer momento ser revogado.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta