Empresas de ônibus rodoviários baixam valor das passagens e se preparam para retomar viagens

Empresas calculam que perderam neste ano 40% do faturamento anual, o que representa em torno de R$ 2,8 bilhões. Foto: Adamo Bazani.

Companhias alegam intensificar medidas de higiene em veículos e terminais, por conta da pandemia do novo coronavírus

JESSICA MARQUES

As empresas de ônibus rodoviários decidiram baixar os valores das passagens diante da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Desta forma, as companhias já se preparam para retomar as operações, na expectativa da redução das medidas de isolamento social e liberação de viagens em todos os estados e municípios.

A informação foi divulgada nesta sexta-feira, 24 de abril de 2020, pela Abrati (Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros). No momento, o transporte rodoviário no país está operando para atender somente às demandas essenciais.

De acordo com a associação, enquanto aguarda a retomada das viagens, o setor regulado se prepara para oferecer um transporte rodoviário mais seguro e eficiente, principalmente enquanto perdurarem os riscos de transmissão do coronavírus.

HIGIENIZAÇÃO

Assim, as empresas informaram que estão investindo mais na higienização dos veículos e dos locais de atendimento ao cliente. “Queremos que o passageiro se sinta seguro ao retomar a agenda de viagens para realizar seus deslocamentos necessários de trabalho, estudo, especialmente os clientes que trabalham em serviços essenciais”, afirmou, em nota, Letícia Pineschi, conselheira da Abrati.

Segundo Letícia, nas garagens, a cada viagem os ônibus são higienizados por dentro e por fora. A limpeza interna é feita em todas as superfícies e realizada com composto químico apropriado.

Nos banheiros, o descarte de dejetos segue normas sanitárias rígidas e os reservatórios de água e sabão estão sempre abastecidos, conforme informado pela Abrati. Os dutos de ar-condicionado também são limpos e trocados periodicamente, segundo as empresas de ônibus.

“Para reforçar as medidas de higienização e dar maior segurança a colaboradores e passageiros, na proteção contra o vírus, as empresas disponibilizam álcool em gel para funcionários e clientes e estimulam o uso dos equipamentos de proteção individual para motoristas e pessoal de atendimento presencial ao passageiro, assim como informação e cuidados sobre o descarte correto destes equipamentos e o uso de tecnologias de desinfecção complementares, como o ozônio.”

APOIO AO MINISTÉRIO DA SAÚDE

A Abrati informou também que, desde o início dos casos de Covid -19 todos os processos de rotina foram reforçados imediatamente, “com providências para suprir locais de embarque com álcool em gel e adoção de outras medidas, como o afastamento dos funcionários de grupos de risco, que foram preservados dos ambientes coletivos”.

Além disso, a associação informou que o setor foi um dos primeiros a se colocar à disposição do Ministério da Saúde para compartilhar toda as informações sobre a doença e promover as ações de combate.

“Também ofereceram apoio ao Ministério da Infraestrutura, disponibilizando frota para o transporte de insumos e de trabalhadores da área médica”, esclareceu a Abrati.

As empresas também informaram que vêm estimulando o uso de máscaras de pano , que são reutilizáveis, para evitar o descarte incorreto e o lixo contaminado. Além disso, informaram fazer o monitoramento constante da equipe para evitar o contágio.

NÚMEROS

O segmento rodoviário regular de transporte terrestre de passageiros representado pela Abrati compreende cerca de 80% do serviço realizado no país. É também o responsável pela geração de 60 mil empregos diretos, sendo 15 mil só para motoristas.

Por ano, o setor transporta mais de 50 milhões de passageiros e emite em média 2,2 milhões de passagens, além da oferta de 4,8 milhões de gratuidades ao ano.

Por conta da crise do novo coronavírus, as empresas de ônibus rodoviários interestaduais calculam que perderam, neste ano, 40% do faturamento anual, o que representa em torno de R$ 2,8 bilhões dos R$ 7 bilhões previstos para 2020.

Relembre: Empresas de ônibus rodoviários tiveram prejuízos de R$ 2,8 bilhões até agora, diz Abrati

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Jorge A de Morais disse:

    Eu particularmente não acredito nessa higienização, principalmente do ar condicionado, nenhuma empresa da mantenção adequadamente, nem banheiro, falo com conhecimento pois viajo muito a serviço para lugares que não tem avião o qual eu vou evitar de ir por um bom tempo, se não tem como ir de avião vou preferir ir de carro.

  2. Paulo Grevsmuehl disse:

    O comentário do Jorge está bem de acordo com a minha realidade de tanto tempo de experiência em viagens com as empresas de ônibus no país quase todo. Não importa o que digam, todos os usuários e mesmo os funcionários sabem que a limpeza mesmo nas melhores empresas, não é tão efetiva, principalmente o ar condicionado e banheiro. São poucas as excessões. E pior ainda as pequenas empresas do ramo. Infelizmente as experiências passadas são a primeira coisa que vem quando se pensa em viajar de ônibus. Avião seria melhor, mas o interior do país é muito mal servido. Nem rodoviárias ( que se possa classificar como tal) a maioria das cidades tem! Houve muito progresso nesses últimos 40 anos de estrada, é verdade. Mas muito aquém de atender as necessidades dos usuários e empresários do ramo. Estados e municípios investem pouco e as estradas no interior dos estados costuma ser muito ruim e perigosas. Inclusive as federais estão mais visadas de assaltos aos ônibus vindos de cidades maiores , como é o caso de Florianópolis e Brasília por exemplo. Esse tipo de ocorrência mais os outros fatos do comentário que o Jorge relatou, tornam muito pouco atrativas as viagens. É muita sofrência e perigo.

  3. Márcio Silva disse:

    Jorge A de Morais
    25 de abril de 2020 às 08:06
    Eu particularmente não acredito nessa higienização, principalmente do ar condicionado, nenhuma empresa da mantenção adequadamente, nem banheiro, falo com conhecimento pois viajo muito a serviço para lugares que não tem avião o qual eu vou evitar de ir por um bom tempo, se não tem como ir de avião vou preferir ir de carro.

    Bom dia meu amigo, te faço uma pergunta, você faz uma higienização adequada em seu próprio veículo?
    Pois eu trabalho na área de transporte coletivo de passageiros com carro dotado de ar condicionado e te garanto que todas as empresas que prestam serviços nessa área fazem as manutenções em dia, porque você diz (ônibus) e os aviões você já viu eles fazendo manutenção?!?

  4. José Alves disse:

    Acho que o ar condicionado é o inimigo número um nessa situação.
    Às empresas que cobrem o Nordeste, para onde viajo sempre, são muito negligentes com os passageiros oferecendo um serviço muito ruim em comparação com as do Sul e Suldeste, precisam de uma crise para se atentarem?

  5. San disse:

    Pura verdade. Na teoria você entra nos ônibus achando estarem com dutos de ar limpos e quando ligam o ar o povo começa a espirrar com o cheiro horrível. Detalhe: Todas as empresas são iguais nisso pois os ônibus quase não param…

  6. Joao Batista disse:

    Tem que ter higienizacao extrema, anular o ar-condicionado e abrir as janelas até que tudo se normalize.

    Mesmo em viagens curtas de 1 hora, é imprescindível que esses detalhes recebam extrema atenção

  7. Queria saber quando vão liberar os ônibus preciso viajar

  8. Alexsandro A da Silva disse:

    Os ônibus de hoje não dão mais a opção de abrir janela.

  9. Alexsandro A da Silva disse:

    Os ônibus de hoje quase não tem a opção de abrir janela.

  10. Ef disse:

    Nem tem ar ou limpa teu em casa e quer graca

  11. marcio sergio da Silva disse:

    trabalho em uma empresa de onibus aqui em Minas gerais e os onibus sao igienisados todas as horas que chegam na garagem

  12. Saledio disse:

    Espero que todas as empresas que tiveram prejuízo processem sem estado e governo

  13. AbelSanches disse:

    Bora viajar!
    Com segurança e higiene

  14. Roberto Gomes Ruiz disse:

    Foi comprovado em entrevista na tv,que as empresas que fabricam ar condicionado deram garantia que o vírus civis 19 não é transmitido pelo ar dos ônibus..

  15. Romildo Pimentel disse:

    A entendi quer dizer que, eles agora vão igienizar os ônibus, mas é porque a lei obriga, mesmo assim eu duvido dessa igienizacao, eles não estão preocupados com a saúde e o bem estar do passageiro, isso sem falar do conforto, mesmo nos ônibus leito a distância entre uma poltrona e outra diminui muito e no corredor ninguém consegue andar se alguém está em pé.

  16. Leonardo disse:

    Pura mentira , higienização meia boca q essas empresa estão fazendo

  17. Samara disse:

    Quando irão voltar a funcionar, quero ir embora ………

  18. Mariane keske de Souza disse:

    Quando vai liberar os ônibus de viagem eucatur

  19. Mirella Mercante disse:

    Genteeee!!! Quando vai liberar os ônibus para ir para praias??
    Combinei com as minhas amigas de irem em Maresias agora em Agosto.
    E agora o que eu faço?

Deixe uma resposta para Romildo Pimentel Cancelar resposta