Com transporte coletivo suspenso por mais de um mês em Blumenau (SC), BluMob começa a demitir rodoviários

De acordo com o sindicato da categoria, pelo menos 105 trabalhadores da empresa de ônibus estão sendo dispensados

JESSICA MARQUES

Com o transporte coletivo suspenso por mais de um mês na cidade de Blumenau, em Santa Catarina, a empresa de ônibus BluMob começou a demitir os funcionários. De acordo com informações do Sindetranscol, sindicato que representa os rodoviários da cidade, pelo menos 105 trabalhadores estão sendo dispensados.

Em nota, o sindicato informou que em 17 de abril a cidade completou 30 dias com o transporte coletivo parado. Assim, foram negociadas férias coletivas. Contudo, a proibição da circulação de ônibus municipais continua até dia 30 de abril.

Desta forma, a empresa apresentou uma proposta de demitir 31 funcionários em período de experiência e outros 74 que já não possuem férias a adiantar, com o pagamento do vale alimentação a discutir.

Ainda segundo o sindicato, a categoria chegou a solicitar outra alternativa, mas a empresa informou aos rodoviários que “nem cogitava essa possibilidade porque não tem caixa para pagar os 30% que lhe caberia”.

Assim, apesar das demissões dos rodoviários, foi feito um acordo coletivo com as seguintes cláusulas, de acordo com o Sindetranscol:

1 – Conceder novo período de férias individuais e/ou coletivas a todos os funcionários que porventura ainda tenham período aquisitivo à antecipar, uma vez que a concessão de férias coletivas de períodos aquisitivos já vencidos ou até mesmo antecipação para outros já fora regrado pelo acordo coletivo firmado entre as partes em 4 de abril de 2020

2 – A empresa poderá prorrogar as férias coletivas por mais 30 (trinta) dias, iniciando em 18 de abril de 2020, podendo o retorno às atividades ser requisitado em qualquer momento

3 – Fica convencionado que o pagamento da prorrogação das férias coletivas ou das férias individuais, bem como o adicional de 1/3, concedida nesse período de emergência, será pago em 3 (três) parcelas mensais e iguais nos meses de junho, julho e agosto de 2020, sempre no dia 10 de cada mês.

4 – Os dispostos deste acordo se aplicam a todas as categorias de empregados que atuam na empresa, na proporção de suas respectivas participações na operação das linhas afetadas ou mesmo da totalidade da empresa.

5 – Essa condição poderá ser alterada conforme determinação das autoridades competentes, prorrogada ou antecipada conforme o caso, mediante acordo entre as partes.

6 – A empresa se compromete a realizar o pagamento do vale alimentação do mês de maio, em sua integralidade, até o dia 8 de maio de 2020, a todos os funcionários que possuem tal direito

7 – Devido ao estado de pandemia, e os empregados estarem em estado de isolamento, principalmente os empregados na faixa de risco, toma-se válida qualquer meio de comunicação com o empregado, seja por meios físicos ou eletrônicos, inclusive os já realizados durante a vigência dos decretos do Estado mencionados.

8 – O descumprimento de qualquer das cláusulas incidirá a penalidade de 5% (cinco por cento) sobre o valor do piso do motorista, por cláusula, por mês e por empregado.

9 – A vigência será por trinta (30) dias, contados a partir da assinatura do presente instrumento normativo, que pode ser prorrogado ou alterado por conveniência das partes.

OUTRO LADO

Em nota, a BluMob, responsável pelo transporte coletivo da cidade, informou que a suspensão total das atividades está impactando nos negócios. Por este motivo, os compromissos com os trabalhadores foram afetados.

Confira a nota, na íntegra:

A determinação de suspensão integral de nossas atividades, que completará em 30 de abril mais de 40 dias, tem impactado profundamente a capacidade de manutenção de nossos negócios, especialmente os compromissos com salários, benefícios e fornecedores. Por meio de acordo coletivo, todas as opções para concessão de férias e antecipação de períodos aquisitivos de férias foram promovidas.

Considerando que em alguns casos já não há mais medidas possíveis a adotar, o crescimento das dificuldades financeiras decorrentes da paralisação das atividades da empresa e o cenário de incertezas no futuro próximo, medidas mais complexas precisaram ser tomadas, como a redução de nosso quadro de colaboradores. A empresa vem promovendo e intensificará as discussões com os agentes públicos e a agência reguladora para adoção de medidas emergenciais e de rediscussão do sistema de transporte da cidade para o médio-longo prazos, buscando a manutenção da qualidade dos serviços prestados pela Blumob dentro dos padrões estabelecidos no contrato e merecidos pela população Blumenaunse.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta