Uso de máscara passa a ser obrigatório nos ônibus de Maringá (PR)

TCCC informou que já adotava protocolos de limpeza e há 30 dias intensificou as ações. Foto: Aldemir de Moraes / PMM.

Prefeitura também orienta lavagem constante das mãos ou higienização com álcool em gel

JESSICA MARQUES

Para conter a proliferação do novo coronavírus, o uso de máscara passou a ser obrigatório nos ônibus de Maringá, no Paraná. A informação foi divulgada pela Prefeitura por meio de nota.

Além disso, a administração municipal informou que continua realizando orientações de reforço à empresa concessionária do transporte coletivo (TCCC) na higienização dos ônibus seguem rigorosas.

“A empresa já adotava protocolos de limpeza e há 30 dias intensificou as ações. Com a retomada de novas atividades econômicas a partir desta segunda, 20, cuidados também devem ser adotados pelos usuários, como uso obrigatório de máscaras de proteção e manutenção de hábitos de higiene, como lavagem constante das mãos com álcool em gel ou água e sabão”, informou a Prefeitura, em nota.

OUTRAS MEDIDAS

Outras medidas de prevenção adotadas no transporte coletivo incluem a interdição de bebedouros, reforço na higienização dos ônibus internamente entre as viagens, com atenção redobrada na limpeza dos apoios de mãos, e na garagem, ainda segundo a Prefeitura.

“No terminal urbano, foram posicionados locais com sabonete e maçanetas e válvulas de descargas são higienizadas a todo momento. O sistema interno de televisores do terminal também apresenta informativos de prevenção contra o vírus transmissor.”

DEMANDA

Antes da adoção das medidas de isolamento social, com a suspensão das atividades econômicas, o transporte coletivo deslocava diariamente cerca de 140 mil pessoas, segundo a Prefeitura.

Esse fluxo caiu em seguida para 12 mil e a expectativa é que esse número dobre com a retomada das atividades, razão do maior rigor nos protocolos de higienização, também de acordo com a administração municipal.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta