São José dos Campos adquire 100 mil máscaras de tecido para proteção contra Covid-19

Novas medidas foram divulgadas pela prefeitura em coletiva neste sábado, 18 de abril. Foto: divulgação

Decreto publicado pela prefeitura recomenda o uso de máscara pela população a partir da próxima sexta-feira, 24

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de São José dos Campos, no Vale do Paraíba em São Paulo, publicou decreto nesta sexta-feira, 17 de abril de 2020, determinando novas regras de combate ao novo coronavírus.

Dentre as novas medidas está a recomendação para o uso de máscara pela população a partir da próxima sexta-feira, 24 de abril.

A Prefeitura informa que já comprou 100 mil máscaras de tecido para distribuição.

O decreto também define regras mais rigorosas para as atividades essenciais a partir do próximo dia 27 de abril.

Outra decisão contida no decreto obriga ainda os estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviços privados em geral que possuam 40 funcionários ou mais, a escalonar os horários de entrada e saída dos funcionários, à proporção de metade por hora, a fim de se evitar aglomeração no transporte público, exceto se utilizarem integralmente transporte fretado ou particular.

Além disso, todos os funcionários deverão utilizar máscara descartável ou de tecido.

As atividades econômicas foram divididas em dois grupos. O primeiro começa a funcionar sob regras rígidas a partir do próximo dia 27. Nele, estão incluídos o comércio e serviços em geral, comércio da rua XV de Novembro, rua Sete de Setembro e loja de shopping, shoppings centers, salões de beleza, além de escritório prestadores de serviços e vendas.

No segundo grupo, sem data de início, estão bares, lanchonetes, padarias e restaurantes.

Frascos com álcool gel 70% (dispenser) deverão estra disponíveis na entrada e saída dos estabelecimentos, que deverão também manter sistemas de ar-condicionado limpos e desinfetados, além de possuir no mínimo uma porta ou janela aberta para garantir circulação de ar.

Por fim, a prefeitura recomenda que funcionários e proprietários com idade igual ou superior a 60 anos, gestantes, lactantes ou portadores de doenças crônicas, preferencialmente não atuem no comércio.

sjc_dec_01


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    O BARSILei precisa ser mais pragmático; aliás precisa e faz teeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeempo.

    Tem de ser publicado logo uma Lei Federal, obrigando o uso de máscaras pronto e acabou.

    É muita perda de tempo em cima da mesma coisa.

    Quanto tempo desperdiçado por todas essas prefeituras.

    E tem mais uma coisa; esse negócio de máscara de tecido pra mim tá muito amador.

    Será que qualquer tecido serve?

    Mascara pra mim tem de ser descartável.

    Por que o Ministério da Saúde e a ANVISA, não especificam o material dessa máscara, ser fizer de pano de saco, flanela, algodão, cetim, linho, poliamida ou o escambau que é a mesma coisa?

    Porque a indústria papeleira ou de filtros não especifica o material das máscaras?

    Cobra-se tanto a verdade, a seriedade e a técnica e cadê??

    Mais ou menos não existe; OU É OU NÃO É.

    A mascará tem de ser tecnicamente especificada.

    Ou os senhores acham que qualquer máscara serve?

    Perguntem para qualquer profissional da área de Segurança do Trabalho que eles respondem.

    Ou vocês acham que existe só um tipo de mascara?

    Esse é o BarsiLei, tudo sem técnica, por isso que aqui nada vai pra frente e ninguém acredita em ninguém.

    A ANVISA inferniza em tudo, porque agora não dá um posicionamento oficial quanto a especificação técnica das máscaras.

    Ou pode usar qualquer mascara feita no zapzap que da certo?

    MUDA BARSILei.

    SAÚDE A TODOS!

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta