ABC terá aplicativo para mapear novo coronavírus na região. Ocupação dos hospitais já é de 70%

UFABC desenvolveu outras ações, diz reitor

Ferramenta vai indicar também regiões onde há mais casos em cada bairro do ABC. Será possível usar o aplicativo em celular, computador e tablete. Serviço deve estar disponível na próxima semana

ADAMO BAZANI

As sete cidades do ABC, na região metropolitana de São Paulo, vão contar com um aplicativo para monitorar o avanço do novo coronavírus.

A ferramenta é desenvolvida pela UFABC – Universidade Federal do ABC em parceria com os prefeitos reunidos no Consórcio Intermunicipal ABC.

No próximo dia 23 de abril devem ser finalizados os detalhes do sistema operacional e até o dia 27 de abril devem começar os primeiros testes.

O anúncio foi feito pelo presidente do consórcio, Gabriel Maranhão, e pelo secretário-executivo da entidade, Edgard Brandão.

Será desenvolvido um protocolo de ação, com base nos protocolos do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual da Saúde, mas adaptado para as características específicas do ABC que, depois da capital paulista, é a região que possui o maior número de casos confirmados e óbitos somados os municípios.

O reitor da UFABC,  Dácio Roberto Matheus, disse que foi lançada a campanha “Nós pelo Bem Comum” para disponibilizar à comunidade da região ações pelos conhecimentos técnicos científicos, desde produção de EPIs – Equipamentos de Proteção Individual até tecnologias para monitoramento e informação. São ao todo 52 projetos. O ginásio esportivo da UFABC de Santo André foi disponibilizado para hospital de campanha.

O projeto do aplicativo é coordenado pela professora Fernanda Almeida e chama COVIDATA. Segundo ela, o objetivo é tornar mais eficiente a triagem para ajudar identificar caso suspeitos.

A partir das respostas, serão traçados três quadros:

  • Sem suspeita
  • Suspeita leve
  • Suspeita alta e caso grave

A ferramenta também capta a dispersão geográfica sobre onde está ocorrendo o maior número de casos nas microrregiões.

Se o usuário fizer um cadastro gratuito poderá ter um acompanhamento individualizado.

OCUPAÇÃO ALTA:

Segundo o presidente do Consórcio, Gabriel Maranhão, o nível de ocupação dos hospitais do ABC, tanto públicos como particulares, só cresce e já atinge a 70%.

A preocupação é que a curva dos casos está no início do crescimento ainda.

Algumas unidades de saúde estão perto do esgotamento, como o Hospital Estadual Mário Covas, que fica em Santo André, e já está com 89% de ocupação.

OUTROS ASSUNTOS:

A assembleia extraordinária dos prefeitos nesta segunda-feira, 20, debateu outros assuntos referentes ao novo coronavíru. O consórcio também respondeu a perguntas de veículos de comunicação, entre os quais o Diário do Transporte, numa entrevista coletiva após o encontro que ocorreu de forma virtual.

Na quarta-feira, 23, vai ser iniciada uma campanha de doação de alimentos para comunidades carentes da região.

O secretário-executivo Edgar Brandão disse que os prefeitos acataram a orientação do coordenador do comitê de acompanhamento do novo coronavírus para que não comprasse agora os testes da Covid-19 e que vão aguardar novas instruções do governo estadual.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta