Rodízio segue suspenso por tempo indeterminado na capital paulista

O governador Alberto Goldman aciona a liberacao ao trafego da ponte do Tatuape e da ponte Cruzeiro do Sul. 22.12.2010 São Paulo-SP Foto: Gilberto Marques/Governo do Estado de SP

Zona Azul, por sua vez, não está sendo cobrada em um raio de 300 metros de unidades de saúde

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, informou que o rodízio para veículos leves continua suspenso por tempo indeterminado na capital.

“A Prefeitura segue monitorando atentamente a movimentação de veículos e no sistema de transporte coletivo por ônibus em toda a cidade e anunciará novas medidas caso seja necessário”, explicou a Secretaria, em nota ao Diário do Transporte.

A medida está em vigor desde 17 de março de 2020, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Relembre: Rodízio municipal de veículos em São Paulo suspenso por causa do coronavírus a partir de terça-feira, 17

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) esclareceu ainda que não há vias bloqueadas devido à situação de pandemia nem quarentena. Desta forma, apesar de a recomendação ser para ficar em casa, as ruas da cidade não foram fechadas neste feriado.

ZONA AZUL

Desde o dia 23 de março, a Zona Azul está suspensa num raio de 300 metros de unidades de saúde, como hospitais, ambulatórios, UBS, UPA, AMA, pronto-socorro, dentre outros estabelecimentos que prestem atendimentos de urgência e emergência.

De acordo com a Prefeitura, o objetivo é auxiliar o atendimento da população e o deslocamento dos profissionais de saúde para o enfrentamento da pandemia de COVID-19.

No restante da cidade, a Zona Azul continua vigente, e a cobrança vem sendo feita normalmente.

“O Cartão Azul Digital – CAD pode ser utilizado em toda área de estacionamento rotativo (Zona Azul) na cidade e deve ser usado para regularizar o estacionamento do veículo sempre que a placa de sinalização apresentar a mensagem ‘OBRIGATÓRIO CARTÃO AZUL’. A comercialização do CAD é feita através de 15 aplicativos habilitados no mercado, além de pontos de venda cadastrados pelas empresas credenciadas pela CET”, informou a Prefeitura, também em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta