Prefeitura de São Paulo abre consulta pública para obras do corredor de ônibus Leste Itaquera

Apenas uma parte do corredor foi entregue. Foto: SPObras

Contrato com consórcio anterior foi rescindido por causa de irregularidades, segundo SPObras

ADAMO BAZANI

A SPObras, da prefeitura de São Paulo, lançou procedimento de consulta pública para posteriormente publicar o edital da licitação das obras que restam a fazer no Corredor de Ônibus Leste-Itaquera.

O prazo para envio de sugestões é de 18 de abril até às 17h de 24 de abril de 2020. A minuta do edital vai ser publicada no site: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br

Por causa da pandemia do novo coronavírus, as sugestões, críticas e opiniões devem ser mandadas virtualmente, apenas pelo e-mail: licitacoes@spobras.sp.gov.br

Além das obras remanescentes, a licitação engloba serviços e projetos executivos.

HISTÓRICO:

Como mostrou o Diário do Transporte, a São Paulo Obras – SPObras, vinculada à Secretaria de Infraestrutura e Obras da prefeitura de São Paulo, decidiu romper unilateralmente o contrato para execução das obras do Empreendimento 4 – Corredor Leste – Itaquera, integrante do Programa de Mobilidade Urbana. A decisão foi publicada no Diário Oficial de  09 de janeiro de 2020.

O contrato foi assinado em 2013 com o Consórcio SP-CORREDORES, constituído pelas empresas Carioca Christiani Nielsen Engenharia e Heleno & Fonseca Construtécnica S/A.

A prefeitura de São Paulo alegou descumprimento de itens de contrato por parte do consórcio e do cronograma de obras.

Com extensão de 14 km, o corredor compreende o trecho da Avenida Itaquera, partindo do Terminal Carrão, continuando pela Avenida Líder e voltando para a Avenida Itaquera até a Estação de Transferência da Jacu Pêssego.

O Contrato de número 045/2013 previa que o corredor faria integração com os Terminais de Ônibus da Vila Carrão e o Terminal Estação Itaquera (Linha 3 Metrô / Linha 11 CPTM).

O contrato previa ainda a construção de dois Viadutos, dentre eles um na Avenida Aricanduva sobre Avenida Itaquera.

O valor total do termo assinado foi de R$ R$ 150.406.618,68.

O corredor Leste Itaquera está no plano de implantação de 72 km de corredores apresentado pela prefeitura, com previsão de conclusão até 2020.

Apresentado em 2012, o corredor deveria ter sido concluído, de acordo com a primeira promessa da prefeitura, em 2014.

Em 2016, foi entregue o trecho de 1,8 quilômetro de extensão na Avenida Líder, entre a rua Diogo de Souza e a avenida Itaquera, no sentido centro, e entre a rua Manuel Cardoso e a praça Dr. Francisco Munhoz Filho, no sentido bairro.

Em 2016 a prefeitura publicou em seu site que as obras do corredor Leste Itaquera iriam melhorar o acesso ao Polo Institucional de Itaquera, estabelecendo a conexão com os terminais Vila Carrão e Itaquera e com a estação Itaquera (linha 3 vermelha do Metrô e linha 11 CPTM). O projeto prevê ainda a implantação de viadutos no cruzamento da avenida Itaquera com avenida Aricanduva, para obter maior fluidez neste trecho.

Segundo a prefeitura de São Paulo, a obra recebe investimentos de R$ 75 milhões da Prefeitura de São Paulo e de R$ 150 milhões do governo federal.

Conforme o site da SPObras, o Contrato do Corredor recebeu 6 aditamentos:

Em 18 de abril de 2020, a SPObras, da prefeitura de São Paulo, lançou procedimento de consulta pública para posteriormente publicar o edital da licitação das obras que restam a fazer no Corredor de Ônibus Leste-Itaquera.

O prazo para envio de sugestões foi marcada para até às 17h de 24 de abril de 2020. A minuta do edital vai ser publicada no site:http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa tarde.

    Meeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee Deus!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Consultar o que?

    Quanta ineficiência, ineficácia e improdutividade.

    Isto só comprova a burrice, afinal se lá projetaram e licitaram, esse troço já está pronto.

    Ou estou enganado.

    PMSP, fechem as portas peçam exoneração coletiva ou trabalhem sem remuneração.

    Pois pra fazer um trabalho desse nível, de graça é caro.

    Exceto pra cobrar IPTU, pra que serve a PMSP??????????????????????

    Fica aí para reflexão de todos.

    SAÚDE A TODOS!

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta para Paulo Gil Cancelar resposta