Crivella decreta uso obrigatório de máscaras para quem sair às ruas do Rio de Janeiro

Ônibus no Rio de Janeiro

Prefeito afirma que essa é a única forma de evitar o aumento da contaminação, num momento em que as curvas mostram uma inflexão maior

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, prometeu na tarde desta sexta-feira, 17 de abril de 2020, editar um decreto determinando a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção para todos que saírem às ruas na cidade.

O decreto foi publicado somente neste sábado (veja abaixo).

Segundo Crivella, isso será necessário diante da evolução dos casos da doença nas próximas duas ou três semanas. A falta de leitos de UTI suficientes na rede municipal é o principal motivo para diminuir a velocidade de propagação da doença.

Proposta pelo Comitê Científico, após reunião para analisar o cenário de contaminação pelo covid-19 na cidade, Crivella reiterou a importância da população atender à determinação, num momento que as curvas mostram uma inflexão maior.

A prefeitura já vai adotar como regra do prefeito ao gari. Todos nós vamos usar máscaras, guardas municipais, os funcionários que estão respondendo expediente. Saiu na rua, coloca a sua máscara para evitar o aumento da contaminação e, principalmente, nesses próximos dias. Nos preocupa muito essas duas, três semanas à frente”, ressaltou o prefeito.

O prefeito Crivella anunciou que a prefeitura vai contratar leitos privados para os atendimentos enquanto os hospitais destinados a pacientes infectados não ficarem pontos, e que a prefeitura vai manter o isolamento social, única alternativa diante da previsão do aumento dos casos e falta de vagas de UTI.

A nossa preocupação é de que se não mantivermos o afastamento social, a curva se acelera. Hoje, por exemplo, nós chegamos a ter quase 90% dos leitos de UTI ocupados e isso é uma coisa que preocupa a nós todos. Precisamos que as pessoas mantenham o afastamento social nestes próximos dias”, alertou o prefeito.

A prefeitura aguarda a abertura de cerca de 300 leitos de UTI, que poderão funcionar após a chegada de respiradores comprados pela prefeitura em 2019.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta