Funcionária da CPTM ajuda a fabricar máscaras para hospitais e profissionais da saúde

Máscaras do tipo estão sendo feitas em várias cidades brasileiras, como esta em São João Del Rey (MG), que tem apoio de Universidade local (UNIPTAN).

Grupo de amigos fabricar as peças em impressoras 3D e doa para hospitais da região da Grande São Paulo

WILLIAN MOREIRA

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM divulgou nesta sexta-feira, 17 de abril de 2020, um projeto criado por uma de suas funcionárias que tem como objetivo fabricar máscaras de proteção para serem doadas a profissionais da saúde.

Sarah de Sá Fernandes, da gerência geral de operações da Companhia, idealizou o projeto e criou com os amigos Emerson e Carlos Amiante, empresários, Fernando Almeida, projetista, e Sandro di Segni, empreendedor, o “Juntos pelo Bem”.

Por meio de impressoras 3D, o grupo fabrica máscaras de acetato que protegem todo o rosto de quem a utiliza.

As máscaras são fabricadas em duas fábricas na região do ABC Paulista, e já doou 7 mil unidades para instituições de saúde e hospitais como o GRAAC, Santa Casa de Mauá e Hospital São Paulo na capital.

A CPTM ajuda no transporte, levando o material pronto para entrega, dentro de trens de passageiros, colocando as máscaras na cabine do maquinista que está vazia, o que evita o contato do material com várias pessoas.

A companhia, em nota à imprensa através do seu presidente Pedro Moro, disse que vai apoiar a iniciativa que beneficia as pessoas:

A CPTM continuará apoiando o projeto para beneficiar as pessoas que necessitam tanto desses equipamentos de segurança”.

Somente entre os dias 16 e 17 abril, 2 mil máscaras já foram transportadas pelo projeto que tem o custo de apenas R$ 6 de produção por casa item.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta