Para evitar aglomeração no transporte, decreto de Bruno Covas recomenda horários diferenciados de atividades com permissão de funcionar

Publicado em: 15 de abril de 2020

Ônibus lotado na manhã desta quarta-feira, 15, fazendo a linha 407L-10 (Barro Branco – Metrô Guilhermina-Esperança)

Diversos estabelecimentos foram orientados a abrir antes das 6h ou depois das 11h

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, publicou nesta quarta-feira, 15 de abril de 2020, decreto que recomenda o escalonamento de horários de abertura para as atividades que possuem autorização de funcionamento neste período de quarentena, cujo isolamento social é necessário para evitar o alto número de contágio ao mesmo tempo, já que os hospitais podem não dar conta de tantos pacientes. Não há vacina e não existe remédio que seja consenso contra o coronavírus, que surgiu na China e afeta todo o mundo causando a doença Covid-19.

O objetivo, segundo o decreto 59.349, é evitar aglomerações de pessoas nas vias e logradouros públicos, em especial nos terminais e pontos de transporte urbano de passageiros nos horários de maior demanda.

A maior parte das atividades tem recomendação de abrir antes das 6h ou depois das 11h, como lavanderias, oficinas e borracharias, farmácias, call center, hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e lojas de venda de água mineral, lotéricas, cartórios, entre outros.

O decreto é uma recomendação, ou seja, os estabelecimentos comerciais não são obrigados a seguir os horários.

O Diário do Transporte já havia destacado o anúncio da medida pelo prefeito Bruno Covas no dia 09 de abril.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/04/09/bruno-covas-vai-escalonar-atividades-para-evitar-lotacao-em-transporte-publico/

Veja o decreto e as principais atividades:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta