Sindicato dos rodoviários pede aumento da frota de ônibus em Sorocaba (SP)

Reivindicação visa prevenir proliferação do novo coronavírus em ônibus lotados. Foto: Divulgação.

Segundo a entidade, mais coletivos em operação, em especial no horário de pico, contribuem para menor aglomeração de pessoas

WILLIAN MOREIRA

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região, no interior paulista, solicitou às empresas do transporte urbano e à Urbes – Transito e Transportes que a frota de ônibus da cidade de Sorocaba seja ampliada, principalmente nos horários de pico e que também seja permitido apenas viagens com passageiros sentados.

A medida seria uma forma de evitar aglomerações, ônibus cheios e, assim, risco alto de transmissão do novo coronavírus no transporte público.

O sindicato avalia que o aumento do numero de passageiros nos últimos dias tem relação com alguns fatores, dentre eles a ampliação do decreto e a necessidade de atividades essenciais trabalharem, pressão de empresários para que os seus funcionários voltem ao trabalho e as atitudes do Presidente da República Jair Bolsonaro que confundem a população quanto ao que deve ser feito neste momento de crise da Covid-19.

“Nós, em um primeiro momento, avaliamos que a solução do problema de aglomeração passa pela ampliação da frota de ônibus em operação. Porém, reafirmamos nosso posicionamento primeiro de respeito às autoridades de Saúde brasileiras e mundiais que orientam pelo isolamento social como a ação mais eficaz para conter a disseminação do novo coronavírus e, dessa forma, impedir o colapso do sistema de Saúde e, consequente, ampliação de mortes”, explica Paulo João Estausia, presidente do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região, em nota divulgada para a imprensa.

O Sindicato orientou os trabalhadores do transporte a respeitarem de forma rigorosa os atuais decretos em vigor para que apenas passageiros sentados viagem nos coletivos e que se o ônibus não parar no ponto ao receber o sinal, que o passageiro cobre da prefeitura, uma ampliação da frota.

Na manhã desta segunda-feira 06 de abril de 2020, motoristas compareceram as garagens segundo o sindicato para sair com maior veículos as ruas, mas foram impedidos pelas empresas que não permitiram a frota em rua, acima dos 40% atuais.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta