Doria pede que as pessoas usem o transporte público somente em caso de necessidade explícita

Doria disse que são necessários cuidados nos deslocamentos para evitar contágio

Governador orientou também para que não sejam feitas viagens no feriado da Páscoa, mas vai manter rodovias abertas

ADAMO BAZANI

Colaborou Willian Moreira

O governador de São Paulo, João Doria, disse no início da tarde desta quarta-feira, 08 de abril de 2020, que as pessoas devem utilizar o transporte público somente se necessário neste período de estado de Emergência com restrições a movimentação para que seja barrado o avanço do coronavírus.

Doria respondeu a uma pergunta sobre o aumento de demanda nos sistemas de transportes metropolitanos, mesmo com a recomendação das autoridades de saúde para que as pessoas não façam deslocamentos desnecessários. Outra recomendação é manter a distância de dois metros em relação às outras pessoas, sempre que possível nas estações e terminais.

“A recomendação é a mesma em relação às viagens, ou seja, procure utilizar o transporte público apenas em caso de necessidade explícita. Aqueles que estão trabalhando em áreas de abastecimento, saúde e segurança que precisam utilizar o transporte para essa necessidade. Fora isto não use, fique em casa !” E mesmo que você atuando na saúde, atuando em áreas de abastecimento que estão autorizadas pelo governo ou na segurança pública, mantenham o distanciamento de dois metros de outras pessoas nas estações e nos trens da CPTM e do Metrô. O que não faz sentido nenhum neste momento é que pessoas sem necessidade utilizem o transporte público, fique em casa “

Como mostrou o Diário do Transporte, no sistema municipal da capital paulista, os ônibus já registram número de passageiros quase 30% maior que na comparação com os primeiros dias de quarentena.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/04/07/demanda-de-passageiros-sobe-diariamente-em-sao-paulo-e-sptrans-coloca-mais-424-onibus-nesta-quarta-feira-08-04/

Outra orientação é para que as pessoas não realizem viagens neste Feriado de Semana Santa e na Páscoa, principalmente para o Litoral Paulista.

Apesar da recomendação, as rodovias não serão fechadas.

Doria anunciou medidas nas áreas de educação e consumo e ainda criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro diante da crise da Covid-19

– Merenda em casa: Pagamento para atender 732 mil alunos da rede estadual. Depósito começa hoje e são R$ 55 por mês. Investimento de R$ 40 milhões em abril, que vai ser repetido em maio. Repasses poderão ser prolongados além de 60 dias. O pagamento se dará pelo aplicativo PicPay, que terá sistema antifraudes.

– Defesa do Consumidor: Procon vai vigiar a venda do álcool em gel em mercados e farmácias. Fernando Capez será secretário especial de Defesa do Consumidor 120 dias e não haverá custo ao governo do Estado.

Doria pediu respeito à medicina e aos médicos e disse não fazer sentidos ataques em redes sociais ao ministro Luiz Henrique Mandetta, ao coordenador do Comitê de Crise da Covid-19 de São Paulo, David Uip, e ao cardiologista, Roberto Kalil.

O governador atribuiu os ataques ao que classificou de “gabinete do ódio de Brasília”, e a “milícias digitais”, referindo-se a apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro tem se indisposto com o ministro Mandetta. O presidente é contra o isolamento para prevenir o avanço do coronavírus.

Sobre o hidróxido de cloroquina, Doria disse que partiu de São Paulo a sugestão de disponibilizar o tratamento com o remédio para o tratamento.

O infectologista Davi Uip afirmou que se sentiu invadido pelo presidente Jair Bolsonaro sobre se teria usado ou não o hidróxido de cloroquina em seu tratamento contra a Covid-19 e lembrou que respeitou o presidente quando Bolsonaro não quis revelar o exame para verificar se tem ou não a doença.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Willian Moreira

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Jackson disse:

    Manda esse cara pro inferno… acha que o combustível tá barato?

  2. RodrigoZika disse:

    Como se a maioria n]ao precisasse, e as empresa liberassem, piada.

  3. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Senhor governador; os paulistanos SÓ USAM o transporte público, EM CASO DE NECESSIDADE EXPLÍCITA, mesmo antes do COVID-19.

    Não perca o seu precioso tempo com futilidades.

    Ou o senhor acha que todos gostam de andar ensardinhados todo dia e ficar esperando o buzão no 20/20 e ainda pagar R$ 4,80 por viagem?

    Acorde para a vida.

    SAÚDE A TODOS!

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta