PM retira passageiros que viajam em pé nos ônibus no Rio de Janeiro

Policial orientando passageiros em pé a descer de ônibus na Avenida Brasil

Decreto do prefeito Marcelo Crivella determina que coletivos só transportem pessoas sentadas

ADAMO BAZANI

A Polícia Militar e agentes do Detro – Departamento de Transportes do Rio de Janeiro realizam na manhã desta terça-feira, 07 de abril de 2020, mais uma operação “Barreira Fiscal”.

Ônibus que transportam passageiros em pé são parados e os usuários são obrigados a descer.

A medida é para evitar aglomerações para impedir um avanço maior do coronavírus no Brasil. Atrás de São Paulo, o Rio de Janeiro é o estado que mais tem casos registrados da Covid-19.

Um dos pontos de bloqueios é a Avenida Brasil, de acordo com o Bom Dia RJ, da TV Globo.

Os passageiros são obrigados a embarcar em outros ônibus.

Decreto do prefeito Marcelo Crivella, de 17 de março, determina que os ônibus só transportem pessoas sentadas.

Nesta segunda-feira, 06, em vídeo numa rede social, o Crivella pediu aos motoristas de ônibus não pararem nos pontos caso todos os assentos estejam ocupados.

Na manhã desta terça-feira, há filas para o embarque nos corredores do BRT, mas os coletivos partem somente com lotação de banco.

Entrou em vigor o decreto que determina horários diferenciados de entrada nas indústrias e estabelecimentos comerciais autorizados a abrir. A medida é para evitar aglomeração no transporte público, mas ainda havia lotação nesta terça-feira.

Como mostrou o Diário do Transporte, o Rio Ônibus, sindicato que reúne as empresas de ônibus, por meio de nota se mostrou favorável ao decreto de escalonamento dos horários.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/04/06/empresas-de-onibus-do-rio-dizem-apoiar-horarios-diferenciados-para-trabalhadores-mas-pedem-ajuda-na-organizacao-dos-embarques/

A entrada dos trabalhadores da indústria deve ser antes da 6h e dos estabelecimentos comerciais autorizados a funcionar devem abrir a partir das 9h.

Estabelecimentos como farmácias e padarias podem funcionar de maneira livre.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Pedro disse:

    Aqui na cidade de SP pode andar ônibus super, ultra e hiper lotados, tudo pelo lucro.

Deixe uma resposta