Niterói adia em 5 dias a licitação para terminais de ônibus na cidade

Terminal Rodoviário João Goulart, em Niterói. Cidade quer implantar três estações de embarque e desembarque de transporte público. Foto: Ledilson Paiva

Concorrência, que definirá implantação de três estações de embarque e desembarque com valor estimado em R$ 3,7 milhões, passa do dia 09 para o dia 14 de abril

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Niterói, no Rio de Janeiro, comunicou na edição do Diário Oficial da União desta sexta-feira, 03 de abril de 2020, o adiamento da licitação para contratação de empresa para aquisição de mobiliário urbano com instalação, para a implantação das estações de embarque e desembarque de transporte público nos bairros do Fonseca, Centro e Camboinhas.

O certame, antes marcado para 09 de abril, foi adiado para o dia 14 de abril de 2020.

O valor máximo do contrato está estimado em R$ 3.698.670,25. Vencerá o certame a empresa que apresentar o menor valor.

niteroi_adia


Em novembro de 2019 a Prefeitura de Niterói lançou seu Plano Municipal de Mobilidade Sustentável.

Entre as intervenções previstas está a construção de um terminal de ônibus no bairro do Caramujo, que vai reduzir o número de coletivos que trafegam pela Alameda São Boaventura, no Fonseca, além de desafogar o Terminal rodoviário João Goulart, no Centro. Todos os pontos de ônibus da Alameda serão transformados em estações idênticas às que existem na TransOceânica.

Na Região Oceânica, será construída uma grande rotatória, em formato de praça, na entrada de Camboinhas, facilitando o acesso ao bairro e melhorando a mobilidade para quem segue para Piratininga. A rotatório terá uma estação de ônibus nos mesmos moldes das estações da TransOceânica.

No Centro, a Avenida Visconde do Rio Branco será requalificada, ganhando pista exclusiva para ônibus e estações de embarque/desembarque no canteiro central. O bicicletário junto à estação das barcas será duplicado, passando a oferecer 800 vagas.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta