Volkswagen Caminhões e Ônibus mantém serviços de assistência a clientes

Publicado em: 29 de março de 2020

Equipes estão atendendo aos chamados ChameVolks e MAN Service durante 24 horas

JESSICA MARQUES

A Volkswagen Caminhões e Ônibus informou, em nota, que está mantendo os serviços de assistência a clientes. O trabalho ocorre apesar da pandemia do novo coronavírus.

Desta forma, os serviços de atendimento ChameVolks e MAN Service continuam funcionando 24 horas por dia, sete dias por semana, prestando socorro a veículos com pane.

“Quando não é possível solucionar eventuais panes por meio desse atendimento remoto, as equipes do ChameVolks e MAN Service acionam a unidade de socorro mais próxima à localização do cliente”, informou a VWCO, em nota.

Tanto a Volkswagen Caminhões e Ônibus quanto a rede de concessionários autorizados estão em permanente plantão para atender a frotistas de ônibus e caminhoneiros, seja presencialmente ou por telefone em todo o país.

“O objetivo é contribuir para a normalidade do transporte de passageiros e o abastecimento em todos os segmentos da economia, contando com a valiosa contribuição de suas equipes de Vendas e Assistência Técnica”, informou também a VWCO.

Para emergências na estrada ou nas cidades, o frotista e o caminhoneiro já contam com os canais de atendimento CHAMEVOLKS (discagem gratuita 0800 019 3333), MAN Service (0800 712 3333) e nossa central de relacionamento através de WhatsApp (+55 11 9-7311-8445).

Além disso, em cerca de 80 concessionários autorizados que funcionam às margens de rodovias brasileiras, é possível esperar por serviços de reparo em emergência.

Neste caso, “o caminhoneiro pode permanecer em alojamentos individuais ou com camas espaçadas, além de frequentar refeitórios sem custo. Após o uso os locais são higienizados para a segurança de todos.”

Ao manter os atendimentos, a empresa busca garantir a manutenção dos serviços essenciais à população, como limpeza, abastecimento de medicamentos, alimentos e transporte de passageiros.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta