CBTU Maceió vai interromper a operação de parte da linha do VLT

Publicado em: 28 de março de 2020

Trecho interrompido do VLT. Foto: Reprodução Google Maps

Atendendo a recomendação da Defesa Civil, trecho entre as estações Bebedouro e Mutange será interrompido sem data para retorno

WILLIAN MOREIRA

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) de Maceió, comunicou que a partir do dia 01 de abril de 2020, o trecho do VLT da cidade entre as estações Bebedouro e Mutange será interrompido por tempo indeterminado.

A interdição atende a uma recomendação da Defesa Civil da cidade de Maceió, que constatou instabilidade no solo das casas no entorno da via e região por onde os trens passam. Além da linha férrea, a Av. Major Cícero de Góes Monteiro será interditada para o tráfego de veículos como medida de segurança.

O prazo para retomada do serviço no trecho não foi definido, uma vez que depende das ações que vão instalar no local instrumentos de monitoramento do solo, acompanhando as movimentações do terreno e possíveis riscos de erosão ou desabamento.

No último dia 21 de março, a estação Mutange havia deixado de operar, com os trens passando por ela direto, justamente pelos problemas no solo no entorno.

“A recomendação de suspensão do tráfego na via e da linha férrea é temporária devido à falta de equipamentos adequados que permitam que a Defesa Civil faça o monitoramento e emita alerta antecipado de aviso de possível necessidade de evacuação, como forma de salvaguardar vidas. Estes equipamentos são recomendados tanto pela CPRM quanto pelo instituto alemão IFG, que produziu relatório para a Braskem sobre as medidas de segurança a serem adotados na área”, explica o coordenador Especial Municipal, de Proteção e Defesa Civil, Dinário Lemos, em nota divulgada para a imprensa.

A CBTU, por sua vez, comunica que está buscando junto a Braskem e a Superintendência Municipal de Transportes e Transito de Maceió (SMTT), medidas para amenizar os transtornos causados nas viagens dos passageiros, promovendo a integração de trem/ônibus/trem, sem custo adicional aos usuários.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta