Programa Avançar Cidades seleciona propostas no valor de R$ 42 milhões para obras de qualificação viária em 10 municípios

Almirante Tamandaré (PR) receberá financiamento da CEF no valor de R$ 4,15 milhões. Foto: Maike Willian

Confresa, no Mato Grosso, foi selecionada para financiamento da Caixa Econômica Federal no valor de R$ 8,45 milhões

ALEXANDRE PELEGI

O Ministério do Desenvolvimento Regional divulgou nesta terça-feira, 24 de março de 2019, a seleção de propostas do Avançar Cidades – Mobilidade Urbana (Grupo 01), apresentadas por 10 cidades brasileiras.

O valor total dos financiamentos chega a quase R$ 42 milhões, com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), setor público, e estão todos destinados a obras de qualificação viária.

O Avançar Cidades está dividido em dois Grupos, conforme o porte do município. O Grupo 1 é composto por cidades com até 250 mil habitantes, enquanto o Grupo 2 inclui os centros urbanos com população superior a 250 mil habitantes.

Os projetos contemplados estão distribuídos em cidades de 6 estados brasileiros.

As propostas, que cumpriram as etapas de enquadramento prévio e validação pelo Agente Financeiro, são das seguintes cidades: Araranguá, Correia Pinto, Imbituba, Itapema e Passo de Torres, em Santa Catarina; Almirante Tamandaré, no Paraná; Belém do Piauí, no Piauí; Confresa e Nova Ubiratã, no Mato Grosso; e São Sebastião do Caí, no estado do Rio Grande do Sul.

Veja a relação com os projetos e valores:

avancar_confresa


COMO FUNCIONA

Os recursos disponibilizados para o Programa Avançar Cidades – Mobilidade Urbana são de financiamento, oriundos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), conforme previsto no Programa de Infraestrutura de Transporte e da Mobilidade Urbana (Pró-Transporte).

A taxa nominal de juros das operações de empréstimo do Pró-Transporte é de 6% ao ano, podendo ser acrescida taxa diferencial de até 2% e taxa de risco de crédito de 1%. O prazo para pagamento é de até 20 anos.

Após a seleção final pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, os municípios terão até um ano para formalizar a contratação da proposta com o agente financeiro. Os proponentes poderão acessar o financiamento em diversas instituições financeiras habilitadas no Programa Pró-Transporte.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta