Operação de ônibus em Niterói e São Gonçalo têm redução de até 85% da frota

Impactos da restrição à circulação serão discutidos

Ao todo, sete empresas que operam nas duas cidades definiram um cronograma de operações com quadro de funcionários menor

WILLIAN MOREIRA

Após assembleias realizadas nas garagens, sete empresas que operam o sistema de ônibus municipais e intermunicipais em Niterói e São Gonçalo no Rio de Janeiro (Viação Mauá, Icaraí Auto Transportes, Auto Viação ABC, Auto Ônibus Alcântara, Rio Ita, Coesa e Auto Ônibus Fagundes), decidiram diminuir a frota de ônibus que atende a população das duas cidades, devido a redução do número de funcionários causada por afastamentos pelo coronavírus.

O sistema adotado é o de revezamento do quadro de motoristas e cobradores, dividido em três etapas, com cada funcionário trabalhando 10 dias em cada mês, recebendo o salário e benefícios correspondentes aos dias trabalhados.

A medida que começou a valer nesta segunda-feira, 23 de março de 2020, afeta diretamente 155 linhas de ônibus com a oferta de apenas 15 a 20% da frota total disponível para a população.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac), Rubens dos Santos Oliveira, pediu uma reunião com o Governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, para discutir essa decisão tomada pelas empresas, que, segundo ele, prejudicaria o trabalhador, gerando um problema social.

“A crise não é apenas de Saúde. Ela também atinge o emprego e a renda de milhões de famílias, que, se as medidas de isolamento forem prolongadas por muito tempo, ficarão em situação de penúria. Certamente, não discutimos essas medidas, porém os trabalhadores não podem ser esquecidos, principalmente os de transporte público, que também integram um setor essencial. Os governos, em todas suas esferas, podem compensar essa queda dramática na renda dos trabalhadores, complementando seus salários, como muitos países estão fazendo ou estão em vias de fazer”, explica Rubens.

Nesta segunda-feira, 23, pelo menos 201 linhas de ônibus municipais e intermunicipais, de 19 empresas, que circulam a partir de Niterói, São Gonçalo e Maricá, passaram a operar com 10% a 15% de suas frotas.

Dessas companhias, 12 delas estão com 69 linhas que transportam passageiros para o Rio de Janeiro, estão com as atividades totalmente suspensas.

A informação é do Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac), que realizou assembleias ontem em companhias de Niterói e Maricá visando impedir demissões no setor.

Na sexta-feira, 20, o revezamento de 10 dias foi definido em assembleia pelos trabalhadores das seguintes companhias de São Gonçalo: Viação Mauá, Icaraí, ABC, Alcântara, Rio Ita, Coesa e Fagundes.

Hoje, terça-feira, 24, ocorrem assembleias das empresas Ingá, Araçatuba, Rio Ouro, 1001, Galo Branco e Estrela.

As informações são do portal O São Gonçalo, do Rio de Janeiro.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Souza Silveira disse:

    O ônibus 404 está circulando.?

Deixe uma resposta