Cuiabá atenderá decisão judicial e colocará em operação 30% da frota do transporte público

Foto: Gustavo Duarte

Prefeitura da capital do Mato Grosso havia publicado decreto em que proibia a circulação do transporte coletivo municipal já a partir desta segunda, 23. Irão circular 120 ônibus somente para o transporte dos profissionais da saúde 

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Cuiabá, no Mato Grosso, que publicou decreto na última sexta-feira, 20 de março de 2020, proibindo a circulação do transporte coletivo municipal a partir desta segunda, 23, terá que voltar atrás.

O decreto municipal entrou em choque com decreto estadual expedido pelo Governo que permite a circulação do transporte no estado.

O Governo do Estado ingressou com ação para garantir o funcionamento dos serviços públicos essenciais durante o período de combate ao coronavírus. O juiz Onivaldo Budny, plantonista do Fórum de Cuiabá, em decisão neste domingo, 22, determinou que a Prefeitura mantenha no mínimo 30% da frota do transporte coletivo em operação.

A Prefeitura Municipal de Cuiabá, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana, informou em seu site que fará uma operação especial para atender a decisão judicial expedida.

Pelo plano da prefeitura, as seguintes medidas passam a valer a partir desta segunda-feira, 23:

-Os ônibus começarão a rodar a partir das 4h30 do dia 23/03 até a data de 05/4;

-Irão circular 120 ônibus somente para o transporte dos profissionais da saúde pública e privada de Cuiabá, conforme decisão judicial;

-Todas as linhas e itinerários serão mantidas, porém com frota reduzida e consequentemente com intervalos maiores;

-Os horários de entrada e saída dos profissionais, assim como de troca de turnos nas unidades de saúde serão priorizados;

-A entrada no ônibus somente será permitida aos profissionais da área de saúde, sendo exigida Identificação (crachá ou holerite);

-Será obrigatório o uso do cartão de transporte;

-As estações (Bispo, Alencastro e Ipiranga) irão permanecer fechadas para evitar aglomerações evitando a propagação do Coronavírus;

-Os coletivos irão rodar, seguindo a determinação judicial, com 50% de sua capacidade total. Na prática, 35 pessoas em cada  viagem.

“A Prefeitura de Cuiabá reitera que nesse momento é preciso fazer um apelo à consciência de cada um. A decisão atende aos profissionais da saúde. Respeite. Faça a sua parte. Estamos numa cruzada contra o novo Coronavirus e esse esforço depende da união de todos em defesa da vida”, completa o comunicado.

NOTA DA PREFEITURA

Após a decisão judicial, a prefeitura publicou neste domingo a seguinte Nota, voltada aos profissionais de saúde:

Nota oficial sobre transporte público destinado aos profissionais de saúde

Quanto à decisão judicial, expedida na manhã de hoje (22/3), que versa sobre o atendimento no transporte público destinado aos profissionais de saúde:

– A Prefeitura de Cuiabá trabalha frente a uma pandemia mundial com medidas severas, austeras e de caráter preventivo ENQUANTO AINDA EXISTE TEMPO para tentar reduzir os impactos causados pela pandemia do novo Coronavírus; 

– O prefeito  de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, entende que a medida judicial – deferida parcialmente – respalda as ações já implementadas pelo Executivo que incansavelmente  vem trabalhando (mediante a orientação e seguindo diretrizes estabelecidas pelo Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus) no intento de preservar vidas;

– A premência do momento, mediante projeções alarmantes e o altíssimo risco de contágio nos ônibus embasaram as decisões de veto ao uso do transporte público;

– O prefeito Emanuel Pinheiro pondera que o magistrado agiu com extremo zelo ao determinar que o transporte dos profissionais de saúde seja efetuado, mas observando-se a capacidade máxima de passageiros limitada em 50% (cinquenta por cento), esterilização diária nos veículos e disponibilização de álcool em gel para os usuários do transporte coletivo;

– Por fim, informa à população que vai cumprir a determinação judicial, mas não se furtará a adoção de medidas de impacto visando o bem coletivo.

Enquanto gestor público, pai, marido, filho eu me preocupo com a saúde dos munícipes, das pessoas que aqui vivem. O momento é de tensão, de insegurança. Vivemos uma pandemia, um momento  que exigiu medidas drásticas para proteger você e sua família. O gestor não pode ser omisso  e eu jamais seria quando está em jogo a vida de pessoas. Temos de tomar medidas urgentes, rápidas, preventivas e em grande escala para evitar a propagação em Cuiabá”, comenta o prefeito Emananuel Pinheiro.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta