Volvo garante que oficinas de sua rede de assistência operam normalmente no país

Concessionária Volvo em Rio Preto (SP). Foto: Volvotrucks

Segundo a fabricante, as oficinas das cerca de 100 concessionárias de caminhões e ônibus da marca distribuídas por todo o Brasil mantém atendimento

ALEXANDRE PELEGI

A Volvo emitiu comunicado à imprensa especializado afirmando que, até o momento, as oficinas das cerca de 100 concessionárias de caminhões e ônibus da marca distribuídas por todo o País mantém atendimento.

Mesmo nas cidades onde há restrição de circulação, serviços em veículos que transportam alimentos, medicamentos, perecíveis, combustíveis e outros casos especiais estão sendo autorizados pelas autoridades, em regime de exceção”, informa a fabricante.

Também está mantido o atendimento emergencial da Volvo (VOAR), que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.

Alcides Cavalcanti, diretor comercial de caminhões da Volvo, afirma que os clientes da marca e toda a sociedade podem contar com o empenho para manter a frota de caminhões Volvo rodando, seja com peças ou serviços. “Nesse momento de consternação mundial, o transporte de bens essenciais como alimentos, remédios, combustíveis etc. não pode parar”, afirma o executivo.

Já as áreas administrativas das concessionárias estão operando de forma alternativa, com home office para quem pode trabalhar remotamente em casa e outras medidas de distanciamento social. São ações para proteger funcionários e também os motoristas que precisarem ir às concessionárias.

Rodrigo Padilha, diretor de desenvolvimento de concessionárias Volvo, assegura que a Rede Volvo está seguindo todas as orientações das autoridades epidemiológicas em cada localidade do país. “Nosso objetivo é proteger a segurança e a saúde dos funcionários, sem prejuízo ao atendimento essencial aos motoristas. Mais do que nunca, nesse momento queremos estar ainda mais próximos de nossos clientes, dando total suporte às suas operações”, garante.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta