CCJ aprova projeto de concessão de linhas do Metrô e CPTM

Autor da Proposta usa Linha 4-Amarela como exemplo de sucesso de projeto privatista. Foto: Alexandre Pelegi

Projeto de Lei em tramitação na Assembleia Legislativa de SP defende que setor privado tem prestado melhor serviço do que o público

ALEXANDRE PELEGI

Um Projeto de Lei de autoria do deputado estado Douglas Garcia (PSL), apresentado na Assembleia Legislativa de São Paulo em junho de 2019, propõe autoriza o Poder Executivo a outorgar a concessão das linhas metroviárias da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e ferroviárias da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) ao setor privado.

O PL 777 teve voto favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Redação no dia 19 de fevereiro de 2020, e agora está para apreciação na Comissão de Assuntos Metropolitanos e Municipais.

De acordo com o autor do projeto, a concessão ao setor privado tem a finalidade de otimizar a prestação do serviço de transporte público para a população, “especialmente do Metrô de São Paulo e da CPTM, uma vez que o serviço privado tem, comprovadamente, prestado melhor serviço do que o público”.

O deputado cita como exemplo a linha 4 – Amarela, “iniciativa de contrato de parceria público-privada e que conta com aprovação ampla da população. Em nove anos, desde a sua inauguração, conta com índices de aprovação que superam 80%”, afirma.

Ainda segundo a Justificativa do PL, o autor descreve que a linha 4, operada por iniciativa privada, “é o único sistema atuante na América Latina que permite definir número de viagens, tempo de abertura das portas e até inclusão de mais trens na linha, de acordo com a demanda de passageiros, conferindo mais conforto ao usuário do transporte público”.

PL 777_page-0001

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Laurindo Martins Junqueira Filho disse:

    Sobre a Linha 4, apesar de q seus serviços são realmente bons, é uma piada de mau gosto ouvir do Nobre Deputado um argumento como esse …
    Sugiro a ele q aumente o seu preço, já q, financeiramente, o contrato de concessão do Metrô Estatal para o metrô Privado é benéfico para este último demais da conta, não é mesmo?!
    Oi, Deputado! O preço q cobrastes por esse parecer está muito aquém do q ele realmente vale, meu!

  2. Helvio Maciel disse:

    Isso tbm poderia ser realizado pelo transporte público,se as autoridades tivessem interesse.

  3. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Aqui cabe algumas considerações.

    O Metro de São Paulo sempre teve e tem a aprovação da população de Sampa.

    Há de ser considerado que a a Linha 4 Amarela é recente e a tecnologia empregada também o que gera resultados melhores obviamente.

    Vamos ver se a Linha Amarela tem a mesma eficiência se for operar as demais linhas com tecnologias mais antigas, tens mais rodados, estações sem portas dupla e demais características específicas de cada linha.

    Observemos também a linha Lilás que embora sob concessão tem uma operação que deixa a desejar em vários aspectos e motivos.

    Quanto a CPTM, o cuidado tem de ser redobrado.

    Ferrovia é ferrovia e em especial as da CPTM, estas tem um passivo tecnológico muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito defasado e inúmeros outros problemas principalmente os advindos de infra estrutura e de compartilhamento de via com linhas de carga.

    E mais recentemente tem o Aero BOMBA que é uma concessão e pelo visto os resultados são negativos.

    Portanto, ai está mais um exemplo de que as coisas no BarsiLei são efetuadas sem técnica.

    Concessão de ferrovia velha, NUNCA DEU CERTO.

    Mas que os especialistas confirmem ou não se esta concessão será boa.

    Só duas coisas são certas.

    Só o tempo dirá e eventuais custos, despesas e prejuízos serão pagos pelos contribuintes e os passageiros serão amparados pelo SÃO PAESE.

    Att,

    PAulo Gil

  4. Brito disse:

    Fala sem conhecimento,talvez não utilize ou nunca utilizou; então…….. a linha 4 ( amarela ) é nova, algo em torno de 10 anos, vila Sônia já está pronta ??? Afinal tudo deveria estar pronto em 2014 ,a linha 1 ( azul) tem mais de 30 anos em funcionamento, houve um aumento no número de passageiros e a modernização de todo o conjunto ficou aquem, modernizaram a frota , defasaram o operacional,veja o atraso nas bilheterias que nem cartão aceitam ; já a CPTM expliquem a população porque os trens não circulam com velocidade maior ? A malha ferroviária não suporta , talvez sejam desgastes .

  5. and disse:

    com o baixo investimento que o metro-sp e principalmente a CPTM recebe do governo do estado de SP, cujo orçamento é aprovado por esta mesma ALESP, as duas empresas estatais tiram leite de pedra. agora quero ver a CCR operar a linha 4 com os mesmo recursos das estatais. a gente tem o exemplo das terceirizadas da CPTM que deixam a desejar em seus serviços.

  6. Wellington disse:

    Bom dia!
    Acho que essa comparação é inválida, pois a linha 4 é novíssima, e não leva nem 1/5 dos usuários que andam na linha 3 e linha 2, é um absurdo essa comparação, na verdade o metrô de São Paulo faz milagre em transportar tanta gente por dia, fora que na concessão o valor é uma vergonha, na linha 5 o governo gastou mais de 9 no, e privatizou por 550 mi.
    Sendo que o metrô dá lucro, então acho que esse tipo de coisa é pra pagar favores de políticos que foram financiados em campanhas passadas.

  7. Sebastião José disse:

    Esse nobre deputado e os idiotas que defendem essa idéia, deveriam ir ao Rio de Janeiro e dar um volta no Metrô e trem de lá. O serviço, principalmente da SuperVia é péssimo e o Metrô, não é lá grande coisa. E tem mais: não existe transferência gratuita entre os sistemas. O passageiro paga uma tarifa cara e de baixa qualidade. Parabéns, povo paulista. Vocês merecem os políticos que tem.

  8. Kiritsu disse:

    Infelizmente paulista n reconhece o bom serviço que tem, com malha e a demanda que são paulo tem o metrô é mto bom sim, a L4 é nova e sim não cabe a comparação, uma vez que a L4 tem perfil de demanda distribuída, algo que só a L1 tem em boa parte de sua extensão, e mesmo assim a L1 transporta muito mais, com intervalos mto menores que a da L4 utilizando tecnologia mais antiga, e tem mais todos os projetos de estações da L4 são mal feitos com estações apertadas pra demanda que tem, vide a Estação Paulista ser ridiculamente pequena pra uma estação de conexão ainda mais com uma conexão limitada como aquela.

Deixe uma resposta