EPTC propõe que tarifa de ônibus suba para R$ 5,05 em Porto Alegre

Imagem ilustrativa

Cálculos que resultaram em aumento de 7,45% serão analisados agora pelo Conselho Municipal de Transportes Urbanos, que tem sete dias para decidir

ALEXANDRE PELEGI

A depender do cálculo técnico feito pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), R$ 5,05 deverá ser o novo valor da tarifa do transporte coletivo por ônibus em Porto Alegre.

Os dados foram entregues ao prefeito Nelson Marchezan Júnior nesta sexta-feira, 6 de março de 2020, e deverão agora passar por avaliação do Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu), que terá prazo de sete dias para definir.

O próximo encontro do Comtu está marcado para sexta-feira, 13 de março, às 15h30.

O cálculo feito pelos técnicos da EPTC resultou em tarifa de R$ 5,05 (valor técnico de R$ 5,0492), o que representa aumento de 7,45% em relação ao atual valor, de R$ 4,70.

O valor calculado pela EPTC é menor do que o que foi solicitado pelo Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa), de R$ 5,20. A reivindicação dos empresários teve como base o aumento do custo de compra de novos ônibus (17,34%) e do diesel (8,78%), além da queda de 4% no número de passageiros em 2019.

Em nota, a Prefeitura de Porto Alegre reafirma que a aprovação dos projetos enviados pelo Executivo à Câmara Municipal seria a melhor solução para evitar aumentos na tarifa.

Se os projetos enviados pelo Executivo à Câmara Municipal não forem aprovados, Porto Alegre seguirá com a passagem de ônibus mais cara entre as capitais brasileiras.

Desde 2017, o governo municipal apresentou alternativas para tornar o sistema de transporte coletivo mais justo e impedir que o preço da passagem, já elevado, fosse ainda mais alto. Para equilibrar o sistema, foram enviados à Câmara Municipal, em janeiro, outros cinco projetos de lei para apreciação dos vereadores, com o objetivo de reduzir a tarifa para R$ 3,70 ainda neste ano e, em 2021, fixar em R$ 2,00 para os usuários em geral; R$ 1,00 para estudantes; e passe-livre a todos os trabalhadores formais.

As propostas são medidas plausíveis, urgentes e beneficiariam diretamente a parte vulnerável da população, que anseia por transporte mais barato. “Nós, prefeito e vereadores, temos a oportunidade de tornar Porto Alegre a primeira capital a, efetivamente, baixar a tarifa ou continuar com a passagem mais cara entre as capitais. É isso que está em jogo”, adverte Marchezan. “As propostas foram pensadas para quem mais precisa, moradores de zonas afastadas e que utilizam o transporte coletivo”, completa.

Os projetos integram o pacote Transporte Cidadão, que prevê redução ainda maior na tarifa de 2021. A solicitação do Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa) foi para um aumento de R$ 0,50, o que elevaria o valor para R$ 5,20.

tabelaFINAL


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta