Greve de ônibus seletivos de Santos continua

Publicado em: 14 de fevereiro de 2020

Paralisação ocorre desde segunda-feira. Foto: Divulgação.

Rodoviários afirmam que empresa não realizou pagamento de salários

JESSICA MARQUES

A greve dos ônibus seletivos de Santos, no Litoral Paulista, ainda continua nesta sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020. A paralisação teve início na segunda, 10, e está no quinto dia.

A empresa Guaiuba Transportes afirmou que pagaria hoje os salários atrasados, mas, segundo os rodoviários, o pagamento não foi efetuado. Desta forma, os trabalhadores seguem de braços cruzados.

Na terça, a empresa pagou o vale-refeição e as férias atrasadas aos trabalhadores. Contudo, os salários estão atrasados desde sexta-feira, conforme informado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região ao Diário do Transporte.

Além disso, o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) não é depositado há cinco anos.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2020/02/10/greve-afeta-operacao-de-onibus-seletivos-em-santos/

As partes esperam por uma audiência de conciliação no TRT-SP (Tribunal Regional do Trabalho), que ainda não foi agendada.

O Diário do Transporte procurou a Guaiuba Transportes, que não se posicionou sobre o pagamento dos salários. No atendimento ao cliente, a empresa informa que 70% da frota opera nos horários de pico e 50% nos demais.

FROTA MÍNIMA

Na segunda-feira, a greve dos motoristas e demais empregados da Guaiúba Transportes paralisou 100% da frota. A empresa, no mesmo dia, recorreu ao TRT e conseguiu uma liminar para determinação de quantidade mínima de ônibus em operação.

Desta forma, por determinação judicial, 16 dos 23 micro-ônibus do transporte seletivo estão circulando nos horários de pico, mesmo com o atraso dos salários.

“A decisão, da juíza Ivete Bernardes Vieira de Souza, estabelece como horário de pico os períodos compreendidos entre 6 e 9 horas e das 17 às 20 horas. Das 9 às 17 horas, circulam 50% dos veículos. Como a juíza determinou multa diária de R$ 10 mil se o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários descumprisse a liminar, a assembleia da categoria, às 5h30, aprovou a greve parcial”, informou o sindicato, em nota.

A juíza alega “evidente risco à locomoção dos cidadãos que necessitam do transporte coletivo para se locomover”. Sobre a alegação, o presidente do sindicato, Valdir de Souza Pestana, ressalta que o serviço é seletivo.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta