BRT Ouro Verde tem trecho entregue na região do São Bernardo, em Campinas (SP)

No total, já foram entregues mais de 11 quilômetros do BRT. Foto: Fernanda Sunega.

Liberação de 1,4 quilômetro ocorreu nesta quarta-feira

JESSICA MARQUES

O Corredor de BRT (Bus Rapid Transit, Ônibus de Trânsito Rápido) Ouro Verde teve um trecho de 1,4 quilômetro entregue nesta quarta-feira, 05 de fevereiro de 2020, na região do São Bernardo, em Campinas, no interior de São Paulo.

Desta forma, já está liberada a circulação de veículos no trecho, localizado na Avenida das Amoreiras. A extensão contempla os bairros São Bernardo e Parque Industrial.

No total, já são mais de 11 quilômetros de corredores exclusivos do BRT abertos para circulação em menos de um ano, transportando cerca de 230 mil passageiros.

Segundo informações da Prefeitura, o trecho está localizado entre o viaduto da Rodovia Anhanguera (SP-330) e a Avenida Prefeito Magalhães Teixeira (na altura da Marginal do Piçarrão).

O prefeito Jonas Donizette formalizou a liberação do trecho durante a cerimônia realizada na futura Estação BRT São Bernardo.

Ao todo, são seis faixas de rolamento no total, sendo quatro faixas expressas para os veículos em geral (duas faixas por sentido) e duas faixas exclusivas do sistema de transporte público coletivo (uma por sentido), junto ao canteiro central.

“As faixas por onde circulam os demais veículos receberam nova pavimentação asfáltica. A região também recebeu paisagismo no canteiro central. A sinalização viária foi totalmente revitalizada, tanto a vertical (placas), quanto a horizontal (solo)”, informou a Prefeitura, em nota.

“As faixas exclusivas que integram o Corredor BRT Ouro Verde são executadas em pavimento rígido (concreto) e apresentam mais resistência ao fluxo intenso de veículos. A iluminação dos corredores é em LED, com a fiação subterrânea, o que garante mais segurança aos usuários do transporte público no período noturno.”

Também será liberada para circulação a transposição da Amoreiras pela Avenida Francisco de Paula Oliveira Nazaré, no sentido Centro, que foi interditada durante as obras. A velocidade máxima permitida passa a ser 50 km/h, ao longo de todo o trecho.

As estruturas metálicas das futuras Estações BRT Parque Industrial e São Bernardo, que integram o corredor, estão montadas. A etapa de acabamento será executada gradativamente, segundo a Prefeitura.

Confira abaixo os detalhes de operação:

Inicialmente, as faixas exclusivas do corredor serão utilizadas de forma expressa (sem paradas) pela linha 130 (Terminal Vida Nova / Terminal Central). O tempo de viagem será reduzido, favorecendo os cerca de 2 mil passageiros, que utilizam a linha diariamente. Outras 19 linhas de ônibus, que circulam no trecho liberado da Avenida das Amoreiras, seguem utilizando as paradas atuais, com embarque e desembarque pela faixa da direita.

Ao todo, quase 74 mil passageiros que utilizam as 20 linhas diariamente serão beneficiados com a melhoria da fluidez viária na região e redução do tempo de viagem. Além da 130, circulam pelo trecho liberado as linhas 118, 121, 125, 131, 132, 133, 140, 141, 142, 153, 154, 161, 162, 163, 164, 213, 228, 317 e 404.

DETALHES DO BRT DE CAMPINAS

A região liberada para circulação integra o Trecho 1 do Lote 3 do Corredor BRT Ouro Verde, que vai ligar a região central até o Terminal Campos Elíseos, com 4,8 quilômetros de extensão. A empresa responsável pelas obras é a Compec Galasso. O valor total do lote é de R$ 66,5 milhões. No total, o Corredor BRT Ouro Verde tem 14,6 quilômetros de extensão.

“A maior obra de Mobilidade Urbana em andamento no país envolve a construção de três corredores BRT – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral. Serão 36,6 quilômetros de corredores, 18 pontes e viadutos, 37 estações e seis terminais. Com custo total de R$ 451,5 milhões, a entrega total da obra está prevista para meados de 2020 e beneficiará, diretamente, 450 mil pessoas.”

Cerca de 52% das obras do BRT campineiro estão concluídas, segundo a Prefeitura. Dos 36,6 quilômetros de corredores, mais de 20 já foram executados (77% do total) e outros 7,95 quilômetros estão em execução. Das 18 obras de artes, 16 estão em execução.

O BRT de Campinas abrange terminais, estações e corredores exclusivos com espaços para ultrapassagens.

Segundo a Prefeitura, pelas faixas exclusivas, irão circular veículos elétricos articulados com ar-condicionado.

“O embarque e desembarque será em nível e pela esquerda (junto ao canteiro central das avenidas). O pagamento será desembarcado, feito nas estações de transferência. Será um sistema mais seguro, rápido, eficiente e confiável.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

    Enquanto isso em São Paulo e Grande SP….

Deixe uma resposta