Empresa de ônibus da Grande São Paulo adota medidas contra coronavírus

Ônibus são esterelizados na garagem e ao longo do percurso. Foto: Radial Transporte/Divulgação.

Radial Transporte informou que intensificou a higienização de toda a frota

JESSICA MARQUES

A Radial Transporte, empresa de ônibus que circula na cidade de Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Poá, na Grande São Paulo, informou que está adotando medidas contra a proliferação do coronavírus.

A empresa intensificou a higienização de toda a frota nesta quinta-feira, 30 de janeiro de 2020, devido à suspeita de contagio por coronavírus na região do Alto Tietê, por onde opera.

“A força tarefa que mobiliza boa parte do setor responsável pela limpeza dos veículos emprega desinfetantes, germicidas e bactericidas para proteger a população contra doenças e agentes infecciosos. Como procedimento padrão, os carros são higienizados todos os dias antes de saírem para cumprir o itinerário operações”, informou a empresa, em nota.

Os mais de 500 ônibus que estacionam na garagem após cumprir o itinerário estipulado são submetidos de imediato aos procedimentos de limpeza. No total, são 25 colaboradores responsáveis pela ação, divididos em dois turnos (diurno e noturno) para atender a demanda, segundo a empresa.

LIMPEZA DURANTE O TRAJETO

Quem andou na linha 21TR – Miguel Badra / Monte Cristo na manhã de quinta-feira, por exemplo, testemunhou o trabalho ostensivo de limpeza. Neste caso, as colaboradoras da Radial, Rosemeire Oliveira e Maria José de Oliveira, ambas do setor de limpeza da empresa, seguiram durante do percurso promovendo a higienização dos carros.

Munidas com garrafas de álcool, baldes, panos úmidos e muita força de vontade, ambas esterilizaram cada apoio de mão e suporte interno do veículo no decorrer do percurso.

“O trabalho é minucioso e nenhuma fresta, canto ou espaço escapou da esterilização, e o reconhecimento pelo trabalho e iniciativa veio de imediato. Passageiros elogiaram e agradeceram a preocupação da empresa com os usuários”, detalhou a Radial.

CASOS NO ESTADO DE SÃO PAULO

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo informou, em nota, que está monitorando sete casos suspeitos de coronavírus, sendo quatro na capital, dois no interior eu m no ABC Paulista (Paulínia, Americana e Santo André).

Até o momento, não há caso confirmado de coronavírus nem em São Paulo, nem no Brasil. Entre as suspeitas de São Paulo, são três adultos e uma criança.

Por sua vez, nas outras regiões, são dois adultos, de Santo André e Paulínia, e uma criança de Americana. Todos os casos têm registros de visita à China.

“Os dados oficiais estão sendo registrados pelos municípios em um sistema de notificação do Ministério da Saúde. Eventuais novos casos suspeitos ou confirmados, são divulgados diariamente pela Secretaria”, informou o Governo do Estado, em nota.

Paciente registrado em Santo André mora em Mauá

A Secretaria de Saúde de Santo André informou, por meio de nota, que o paciente registrado na cidade tem residência em Mauá, município vizinho.

“O mesmo informou ao hospital dois endereços. Na ficha de notificação sobre a suspeita de coronavírus foi informado um endereço comercial de Santo André. Na ficha de atendimento do hospital foi informado um endereço residencial da cidade de Mauá”, informou a Prefeitura, em nota.

O paciente tem 27 anos e esteve em viagem à China entre os dias 4 e 25 de janeiro. No dia 29 de janeiro, passou pelo Pronto Atendimento do Hospital Albert Einstein apresentando tosse, dor de garganta, dificuldade de respirar e coriza, sendo liberado no mesmo dia.

“A Secretaria de Saúde de Santo André trabalha para localizar o paciente e tomar as medidas cabíveis, entre elas coleta de exames necessários para envio de material ao Instituto Adolfo Lutz, para confirmação ou descarte da suspeita de coronavírus.”

Investigação e diagnóstico

A investigação dos casos é realizada pelas secretarias municipais de saúde, com todo apoio técnico da pasta estadual. As amostras biológicas dos pacientes são colhidas pelo hospital onde foram atendidos e enviadas para análise no Instituto Adolfo Lutz.

Segundo informações do Governo do Estado, os exames consistem numa análise que detecte o genoma do vírus, por meio do chamado PCR (sigla em inglês que significa “Reação em cadeia da polimerase”).

“São feitos a partir da a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou coleta de secreções da boca e nariz), que deve ser realizado pelo hospital que atendeu o caso suspeito e encaminhado ao laboratório de saúde pública do Estado de São Paulo. Os resultados são comunicados pelo Lutz ao município de residência do paciente, responsável por notificar o descarte ou confirmação do caso.”

Dicas de prevenção divulgadas pelo Governo do Estado:

– Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
– Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
– Não compartilhar objetos de uso pessoal;
– Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
– Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;
– Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;
– Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.

O Governo do Estado de São Paulo lançou nesta sexta-feira um site com orientações sobre o coronavírus: http://saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. PARABÉNS mas nem precisa exagerar na limpeza, do veiculo em movimento, basta quando recolher fazer a desinfetação. Já eu pretendo quando sair, levar uma garrafinha de alcool 70%, para distribuir sem custo, nas estações da CPTM..temos que cooperar, não?

Deixe uma resposta