Rodoviários de Porto Alegre (RS) entram em estado de greve

Publicado em: 28 de janeiro de 2020

Categoria pretende parar a cidade na quinta. Foto: Maria Ana Krack/PMPA

Categoria está insatisfeita com propostas apresentadas pela Prefeitura

JESSICA MARQUES

Os rodoviários de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, entraram em estado de greve nesta terça-feira, 28 de janeiro de 2020. A categoria está insatisfeita com as propostas apresentadas pela Prefeitura.

A decisão foi tomada pelo STETPOA (Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre) após reunião com entidades representativas de motoristas de aplicativos. A categoria também promete “parar a cidade” na quinta-feira para impedir que os projetos encaminhados pelo Executivo sejam votados na Câmara municipal.

A categoria, que reúne 3,6 mil cobradores de ônibus, garante que os sindicalistas vão ocupar garagens das empresas de ônibus da Capital, conforme publicado pela mídia local.

A Prefeitura enviou nesta segunda-feira, 27 de janeiro de 2020, à Câmara de Vereadores um pacote de medidas para obter receitas de financiamento dos transportes coletivos e reduzir os valores das tarifas.

Entre as propostas estão a taxação de serviços de carros de aplicativos, como Uber e 99; cobrar uma tarifa dos carros emplacados fora de Porto Alegre quando entrarem na cidade; acabar com a taxa administrativa de gerenciamento do sistema; reduzir o total de cobradores de ônibus; e criar uma taxação às empresas para garantir passe livre a quem está registrado em carteira.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2020/01/27/porto-alegre-propoe-taxar-aplicativos-para-reduzir-a-zero-tarifa-de-onibus-para-trabalhador/

De acordo com o presidente do STETPOA, Adair da Silva, as medidas propostas pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior visam apenas “a retirada dos cobradores”.

Após reunião com o pessoal dos aplicativos, decidimos entrar em estado de greve e fazer a convocação da categoria. Quinta-feira provavelmente a cidade vai parar com a participação de movimentos e centrais sindicais“, afirmou ao Correio do Povo. “Vai haver grande mobilização, pois o prefeito botou o pacote de projetos na calada da noite na Câmara, antecipando a votação”.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Elias da costa bieda disse:

    Eos trem não vão parar né por que nóis. Fica mal como vamos trabaia

Deixe uma resposta