Em um ano, achados e perdidos da Linha 5-Lilás recebe 11,3 mil itens

Publicado em: 23 de janeiro de 2020

O setor fica na Estação Adolfo Pinheiro. Foto: Adamo Bazani.

Em média, 45 objetos são deixados por dia nos trens e estações

JESSICA MARQUES

Em todo o ano de 2019, 11.297 itens foram encaminhados à central de achados e perdidos da Linha 5-Lilás do metrô de São Paulo. O setor fica na Estação Adolfo Pinheiro.

Os dados foram divulgados pela concessionária ViaMobilidade, que administra e opera a linha. Em média, são 45 itens por dia útil deixados em trens ou estações da linha, considerando objetos e documentos.

A Linha 5 é a única do sistema metroviário de São Paulo que possui uma central exclusiva, localizada na Estação Adolfo Pinheiro. Objetos achados nas demais linhas de metrô de São Paulo são encaminhados para a Estação Sé, da Linha 3-Vermelha.

Do total de objetos perdidos na Linha 5, de 1º de janeiro a 31 de dezembro do ano passado, 1.960 foram devolvidos pela Central.

“Enquanto os demais itens têm taxa média de 12% de devolução, em torno de 80% dos celulares são recuperados. Isso porque, além de ter maior valor monetário, quem perde costuma ligar para o número ou os funcionários do setor ligam para algum contato da agenda quando o aparelho está com bateria e tem acesso sem senha”, informou a ViaMobilidade, em nota.

Além dos celulares, o que as pessoas mais perdem na Linha 5 são Bilhete Único, BOM, cartões bancários, carteiras, documentos, chaves e óculos. Há também itens como dentadura, garrafas de uísque e carrinho de bebê.

“É gratificante perceber que as pessoas devolvem mesmo quando encontram carteiras, dinheiro e celulares. Uma vez, um senhor que visivelmente enfrentava dificuldades financeiras e sequer tinha telefone celular veio até aqui para devolver um celular de cerca de R$ 2 mil que encontrou em nossas dependências”, disse a gestora de Comunicação da ViaMobilidade, Juliana de Oliveira Alcides.

PROCEDIMENTO

Todos os itens encontrados nas dependências das estações e trens da Linha 5-Lilás e encaminhados à Central e devidamente identificados e registrados em um sistema eletrônico com dados como data, horário e local em que foram encontrados, além da descrição.

Os objetos são armazenados por um período de, no máximo, 90 dias. Após esse prazo, as peças em bom estado são doadas para entidades não governamentais indicadas pela concessionária. Já os documentos são enviados aos órgãos expedidores.

“Para evitar a perda de objetos e documentos, a ViaMobilidade recomenda aos passageiros que fiquem atentos ao que estão transportando e verifiquem seus pertences antes do desembarque. É importante também que os itens tenham sempre alguma identificação, o que facilitará a localização do proprietário e a sua devolução pela Central de Achados e Perdidos.”

A Central de Achados e Perdidos da Linha 5-Lilás funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, exceto feriados. Ao perder um objeto na linha, o passageiro pode ligar na Central de Atendimento 0800 770 7106 e/ou comparecer à Central de Achados e Perdidos, informar a descrição do objeto e o contato para ser acionado, caso o item tenha sido localizado.

ViaMobilidade

A ViaMobilidade é a concessionária responsável pela operação e manutenção das linhas 5-Lilás de metrô e 17-Ouro de monotrilho em São Paulo.

A Linha 5-Lilás é composta por 17 estações e atende a Zona Sul de São Paulo, de Capão Redondo a Chácara Klabin.

Além disso, a linha se integra ao Metrô na Estação Santa Cruz (Linha 1-Azul) e na Estação Chácara Klabin (Linha 2-Verde) e à CPTM (Linha 9-Esmeralda) na Estação Santo Amaro.

Por sua vez, a Linha 17-Ouro, quando concluída pelo Governo do Estado de São Paulo, terá oito paradas entre as estações Morumbi e Jardim Aeroporto, com integrações à Linha 5-Lilás, na Estação Campo Belo, e com a Linha 9-Esmeralda da CPTM, na Estação Morumbi.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta