São José dos Campos classifica empresa para auditoria nas contas dos transportes públicos

Ônibus em São José dos Campos. Auditoria deve verificar reais custos do sistema

Foi aberto novo prazo para recursos

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São José dos Campos, no interior de São Paulo, classificou em primeiro lugar a empresa Maciel Consultores S/S Ltda, com uma nota final de 86,25 na licitação para fazer uma auditoria nas contas dos transportes municipais.

A segunda colocada foi a Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda, com nota final de 57,85.

A licitação se arrasta desde o ano passado, sendo marcada por diversos recursos.

A abertura dos envelopes ocorreu em 16 de outubro de 2019. Em novembro, a prefeitura havia registrado recurso da Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda contra a classificação em segundo lugar na ocasião.

Para a classificação publicada nesta terça-feira, 21 de janeiro de 2020, que já leva em consideração as propostas técnica e de preço, foi aberto no período de recurso.

HISTÓRICO

O processo de licitação para a contratação de uma auditoria para o sistema de transporte coletivo pela prefeitura de São José dos Campos vem desde abril de 2019.

O objetivo é contratar uma empresa independente que verifique a real situação das finanças das empresas de transportes e de todo o sistema, após diversas contestações sobre a qualidade dos serviços, nível de investimentos das viações e sobre o valor da tarifa municipal. Relembre: São José dos Campos lança edital para auditoria dos contratos de concessão do transporte coletivo

Após o processo ter iniciado, a prefeitura anulou a licitação no dia 23 de julho de 2019.

Tinham sido habitadas as empresas de auditoria Deloitte Tohmatsu Consultores Ltda e Maciel Consultores S/S Ltda., mas houve recurso por parte da empresa Maciel e contrarrecurso da Deloitte. Relembre: São José dos Campos anula licitação de empresa que iria verificar contas do sistema de ônibus

Finalmente, e após fazer alterações no edital da concorrência, a licitação foi retomada conforme aviso publicado no dia 14 de agosto de 2019, com data para a apresentação das propostas marcada para o dia 30 de setembro. Relembre: São José dos Campos retoma licitação para auditoria em contratos com empresas de ônibus

No dia 04 de outubro de 2019, a Comissão de Licitações divulgou que ficaram habilitadas no certame as empresas Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda e Maciel Consultores S/S Ltda, após avaliação dos documentos.

Em novembro de 2019, a prefeitura havia registrado recurso da Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda contra a classificação em segundo lugar na ocasião.

No dia 21 de janeiro de 2020, a prefeitura publicou a classificação da concorrência. Oprimeiro lugar ficou comn a empresa Maciel Consultores S/S Ltda, com uma nota final de 86,25 na licitação para fazer uma auditoria nas contas dos transportes municipais.

A segunda colocada foi a Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda, com nota final de 57,85.

Foi aberto novo prazo de recurso.

Nova concessão

Após mais de 10 anos de concessão, os contratos com as três empresas que operam atualmente o sistema de transporte de São José dos Campos caminham para a fase final.

São José dos Campos, maior cidade do Vale do Paraíba, em São Paulo, tem atualmente um sistema de transporte público coletivo operado por três empresas – Joseense, Expresso Maringá e Saens Peña.

Sistema atual

Empresas que operam na cidade:

Joseense

Expresso Maringá

Saens Peña

Linhas: 103

Frota: 388 ônibus

Total de passageiros transportados em 2018: 7.033.998

Passageiros pagantes transportados em 2018: 3.748.225

Nas 103 linhas do atual sistema de transporte de São José dos Campos, a Saens Peña opera em 33 linhas, a Joseense em outras 33 e a Expresso Maringá em 37.

Além do transporte coletivo comum, São José possui também regulamentação do transporte alternativo, que opera por meio de 78 permissões distribuídas em 16 linhas que concorrem diretamente com o transporte convencional por ônibus.

A bilhetagem eletrônica possui integração gratuita ao utilizar no máximo quatro ônibus no período de duas horas seguintes ao instante da primeira validação do bilhete.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Não importa a cor, o partido ou o século.

    No BarsiLei o desperdício é inseparável da burrocracia.

    E assim o desperdício do dinheiro do contribuinte continua firme e forte.

    Pergunto:

    Para que serve as prefeituras e seus departamentos financeiro e contábil.

    Pelo visto para nada, senão não precisaria desta contratação.

    LAMENTÁVEL.

    Privatizem todas as prefeituras do BarsiLei então; afinal para nada servem, nem para fazer uma simples continha de um débito e um crédito.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta