Ministério Público de Alagoas pede que Maceió não aumente tarifa de ônibus e prefeito garante que não haverá reajuste

Publicado em: 15 de janeiro de 2020

Passagem está em R$ 3,65 e empresas querem R$ 4,10. Foto: Divulgação.

Órgão solicita nova avaliação sobre o valor proposto

JESSICA MARQUES

Ministério Público Estadual de Alagoas solicitou que a Prefeitura de Maceió não aumente a tarifa de ônibus. O pedido foi apresentado nesta semana, durante uma reunião.

Na ocasião, foi apresentado o resultado de uma auditoria realizada no transporte público da capital alagoana por parte do Ministério Público. Desta forma, o órgão pediu que uma nova avaliação sobre o valor da tarifa seja realizada.

Segundo informações da mídia local, durante a reunião, os promotores Max Martins, da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, Jorge Dória, da Promotoria de Justiça de Urbanismo, e Fernanda Moreira, da Promotoria de Justiça da Fazenda Pública Municipal, junto ao procurador do MP de Contas, Pedro Barbosa, pediram que a Prefeitura de Maceió não aplique a tarifa de R$ 4,10, que já foi aprovada pelo Conselho Municipal de Trânsito.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/12/26/maceio-pode-ter-onibus-a-r-410-em-2020/

O grupo ainda pediu que o prefeito Rui Palmeira encontre uma fórmula para manter “a higidez [saúde] do sistema, evitando, desta forma, que esse mesmo sistema de transporte público entre em colapso”.

A Prefeitura se comprometeu a analisar o resultado da auditoria e elaborar uma nova proposta sobre o valor da passagem, que deverá ser apresentada na próxima terça-feira, 21 de janeiro de 2020.

NÃO TERÁ AUMENTO

Em entrevista ao AL1, o prefeito deixou claro que não haverá esse aumento. “Não há cabimento concordar com qualquer reajuste”. A tarifa, atualmente, está em R$ 3,65.

“No que depender da prefeitura, enquanto as empresas não cumprirem o contrato, sobretudo no que diz respeito à renovação de frota, a prefeitura não vai concordar com qualquer reajuste”, disse o prefeito de Maceió.

“Ano passado, as empresas deveriam ter colocado 60 ônibus novos para circular e isso não aconteceu. Prometeram para esse ano e também não aconteceu. As empresas já deveriam ter feito renovação da frota muito maior e isso não vem acontecendo. A auditoria mostra que houve diminuição de passageiros, mas também mostra que as empresas não têm cumprido com o que deveria”, afirmou.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta