Depois de reduzir tarifa do transporte coletivo em 2018, Campo Bom (RS) reajusta valor em 18%

Foto: Leonardo Sanches Vieira / Ônibus Brasil

Com aumento, passagem passa de R$ 3,30 para R$ 3,90

ALEXANDRE PELEGI

Campo Bom, município pertence à Região Metropolitana de Porto Alegre com mais de 60 mil habitantes, reajustou a tarifa do transporte coletivo em 18,2%.

Com o aumento, válido a partir desta segunda-feira, 13 de janeiro de 2020, a tarifa passou dos atuais R$ 3,30 para R$ 3,90.

O Consórcio que opera o transporte coletivo na cidade, Consórcio Coletivo Campo Bom (CCB) formado pelas empresas Viação Campo Bom e Stadtbus, apresentou em maio deste ano pedido de reajuste superior a 41%, o que elevaria o valor da passagem para R$ 4,69. As empresas alegaram que houve redução constante no número de passageiros.

Em maio de 2018, o valor da tarifa foi reduzido pela prefeitura, passando de R$ 3,55 para R$ 3,30 após a prefeitura conceder uma série de benefícios ao Consórcio, aprovados pela Câmara de Vereadores. Relembre: Campo Bom, no Rio Grande do Sul, pode ter redução no valor da passagem de ônibus

Através de projeto de lei encaminhado à Câmara, as empresas de transporte coletivo passaram a receber a isenção do pagamento de ISS até setembro de 2019, além da prefeitura assumir subsídio de 50% da passagem de idosos acima de 60 anos, Pessoas com Deficiência (Pcds) e acompanhantes. Além disso, a prefeitura concedeu ainda a ampliação do prazo para renovação da frota de ônibus, que passou de 10 para 15 anos.

Neste ano, a prefeitura novamente autorizou a continuidade dos benefícios ao Consórcio, com o aval da Câmara. Além disso, contratou uma empresa para avaliar o custo real do transporte no município, e em função disso qual deveria ser a tarifa ideal. Por esse estudo, chegou-se ao valor de R$ 4,31.

Segundo o jornal A Gazeta, o Procurador Geral do Município, Fauston Saraiva, alega que o valor proposto foi menor que o do estudo porque “algumas informações deixaram de ser apresentadas pela empresa contratada, e com isso, diagnosticamos que poderíamos trabalhar com uma tarifa de cerca de 15% mais baixa que o valor sugerido de R$4,31”.

Ainda segundo A Gazeta, o gerente da Stadtbus, Fabrício Narcizo, afirmou que o Consórcio analisa a possibilidade de aumentar os intervalos de ônibus em algumas linhas para custear os impactos da nova tarifa ou até mesmo redefinir algumas rotas.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta