EMTU aplica multa de R$ 160 mil a empresa que atrasou projetos do BRT Metropolitano Perimetral Alto Tietê

Publicado em: 7 de janeiro de 2020

Consórcio Projeto BRT Arujá descumpriu obrigação contratual, segundo a gerenciadora do transporte metropolitano paulista

ALEXANDRE PELEGI

A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) aplicou multa de R$ 160.985,57 ao Consórcio Projeto BRT Arujá pelo descumprimento de obrigação contratual (atraso injustificado na entrega dos produtos).

O Consórcio foi contratado para prestar serviços técnicos de engenharia visando a elaboração do projeto básico e executivo dos trechos 1 e 2 (Arujá e Itaquaquecetuba) e projeto funcional e básico do trecho 3 (Itaquaquecetuba – Ferraz de Vasconcelos) do BRT Metropolitano Perimetral Alto Tietê.

BRT_alto_tiete_DOE.png

De acordo com a EMTU, o Corredor BRT Metropolitano Alto Tietê terá 20,2 km de extensão, com demanda estimada em 82,5 mil passageiros/dia. A frota prevista é de 71 ônibus (50 Articulados + 21 Padron).

O BRT Alto Tietê fará integração com as Linhas 11-Coral e 12-Safira (Brás-Calmon Viana) da CPTM e com o futuro Corredor Leste da EMTU.

BRT_alto_tiete_integra.png

O corredor de ônibus atenderá as cidades de Arujá, Poá, Itaquaquecetuba e Ferraz de Vasconcelos, uma região com grande concentração populacional e que abrange três importantes rodovias: Fernão Dias, Dutra e Ayrton Senna.

Com dois terminais a serem construídos (Arujá e Ferraz de Vasconcelos), um a ser readequado (Cidade Kemel), duas estações de transferência (Parque e Monte Belo) e 25 estações de embarque e desembarque, o Corredor tem como objetivo o desenvolvimento regional com substantiva melhora na qualidade de vida dos cidadãos”, afirma a EMTU. “Os percursos estarão mais rápidos, com redução de cerca de 28% no tempo de viagem ou, aproximadamente, 20 minutos”, completa a estatal do governo de São Paulo.

O empreendimento foi dividido em três trechos.

O trecho 1, em Arujá, com 2 km de extensão, inclui a construção do Terminal Arujá.

O trecho 2, ligando Arujá a Itaquaquecetuba, terá 10,7km, com a construção da Estação de Transferência Estrada do Corredor.

Já o trecho 3, com 7,5 km, ligará Itaquaquecetuba, Poá e Ferraz de Vasconcelos. Prevê a construção da Estação Monte Belo, do Terminal Ferraz de Vasconcelos e a reforma do Terminal Kemel.

BRT_alto_tiete_lotes.png

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. jailton Andrade da Silva disse:

    Boa tarde gostaria de saber se é uma data prevista para começar às desapropriações Itaquaquecetuba referente o corredor de ônibus que liga Ferraz de Vasconcelos

  2. Everton G. Macedo disse:

    Estamos aguardando esse BRT já a muito tempo! Existe uma previsão para inicio das obras?

Deixe uma resposta