Decisão judicial suspende aumento da tarifa dos ônibus em São José dos Campos

Foto: Claudio Vieira/Prefeitura de São José dos Campos

Pelo segundo ano prefeitura é impedida pela Justiça de aplicar reajuste

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de São José dos Campos, interior de São Paulo, suspendeu o aumento de 7,3% da tarifa do transporte coletivo que passaria a vigorar a partir de hoje, 06 de janeiro de 2020.

Em nota expedida na última sexta-feira, 03, a prefeitura comunicou que “o reajuste da tarifa do transporte coletivo urbano do município previsto para o dia 6 de janeiro de 2020 encontra-se suspenso. Os valores vigentes permanecem inalterados até que a Justiça julgue o caso de forma conclusiva”.

A decisão da prefeitura ocorreu após o juiz Paulo Roberto Cichitosi expedir liminar acatando pedido da Defensoria Pública para barrar o reajuste definido pelo município. A Defensoria afirmou que o reajuste não poderia ultrapassar 1,76%, inflação acumulada no período de abril a novembro de 2019, medida pelo IPC (Índice de Preços ao Consumidor).

Como mostrou o Diário do Transporte, em 20 dezembro de 2019 a prefeitura da cidade oficiou comunicado à Câmara Municipal informando que as tarifas de ônibus da cidade teriam reajuste no dia 06 de janeiro de 2020. Relembre: São José dos Campos terá aumento de tarifa de ônibus em 06 de janeiro

De acordo com o estudo enviado aos vereadores, o valor passaria de R$ 4,20 para R$ 4,50 para pagamento com cartão do transporte e, em dinheiro, de R$ 4,20 para R$ 5.

Já as empresas serão remuneradas em R$ 5,20 por passageiro transportado, havendo a necessidade de manter a necessidade de subsídios. Atualmente, a remuneração às empresas é de R$ 4,84.

Pela decisão judicial, definida no início da semana passada, o valor do passe comum deveria ser de R$ 4,27 (contra R$ 4,50 definido pelo reajuste da Prefeitura) e o Vale-Transporte de R$ 4,92 (ao invés dos R$ 5,20 previstos).

Esse é o segundo ano em que a prefeitura de São José dos Campos é impedida de reajustar a tarifa dos ônibus municipais.

As operadoras da cidade Joseense, Expresso Maringá e Saens Peña, que integram o Consórcio 1.2.4, chegaram a sugerir tarifa de remuneração de R$ 6,22.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Fabio Almeida disse:

    Não é mais Consórcio 1 2 3?

Deixe uma resposta