Curiosidades sobre os transportes coletivos por ônibus da cidade de São Paulo

Publicado em: 6 de janeiro de 2020

Linha entre Terminal Itaquera e Terminal Parque Dom Pedrro II é a mais movimentada, com 45 mil passageiros por dia

Linha mais comprida tem 78,3 km de extensão nos dois sentidos. A linha menos lotada leva apenas 100 passageiros por dia e o custo de energia por km dos trólebus é de R$ 1,92. Confira estes e outros dados do maior sistema de ônibus da América Latina

ADAMO BAZANI

O sistema de transportes por ônibus na cidade de São Paulo é o maior da América Latina, tanto em frota como em quantidade de passageiros.

São 8,7 milhões de passageiros por dia útil numa frota de 14.075, segundo os indicadores da SPTrans – São Paulo Transporte, que gerencia a rede que tem mais de 1300 linhas.

Com a assinatura dos contratos com as empresas de ônibus em 06 de setembro de 2019, após seis anos de tentativas de licitação, muitos destes números devem mudar gradativamente. A expectativa é que frota e número de linhas diminuam com as reorganizações de trajetos, mesmo assim, a prefeitura promete que o sistema vai ter uma oferta maior de lugares e que os ônibus vão transportar mais gente.

Diariamente estes 8,7 milhões de passageiros (cada embarque é considerado um passageiro) representam diferentes universos. Isso porque a cidade sendo demasiadamente grande possui realidades bem distintas.

O fato se reflete nos perfis de linhas e serviços.

Ao mesmo tempo que São Paulo precisa de uma linha como a 477P/10 Ipiranga – Rio Pequeno que tem 78,3 km de extensão nos dois sentidos, a maior atualmente em operação, também é necessária a circulação da linha 372F/10 Univ. São Judas Tadeu – Metrô Bresser, a menor, com 3,2 km somando ida e volta.

Enquanto diversas linhas são mudadas, ainda há um itinerário criado em 9 de julho de 1977, que teve muito pouca alteração, a 5318/10 Chácara Santana – Pça. da Sé, que antes era a Chácara Santana – Pça. da Bandeira /Anhangabaú.

Linha ainda com ônibus da CMTC – Companhia Municipal de Transportes Coletivos, empresa pública da capital paulista

Isso porque em São Paulo tem de tudo. Pessoas que precisam andar pouco de ônibus, gente que mora mais distante e chega a ficar quase seis horas por dia num ônibus urbano. Linhas que perderam a razão de continuar, linhas que ainda vão durar por muito tempo.

Um mesmo ônibus em São Paulo trafega por “mundos diferentes”. Há linhas que iniciam nas periferias, onde quase nem há pavimento, e passadas algumas dezenas de minutos, estão em bairros nobres, cujos espelhos dos prédios envidraçados refletem as marcas em pneus e latarias que mostram que o coletivo esteve em locais não tão providos de infraestrutura.

Tal sistema de ônibus, tão único e com tantas diferenças é cheio de curiosidades.

O Diário do Transporte elaborou uma série de questões à SPTrans sobre algumas destes fatos que fazem do sistema de ônibus em São Paulo assumir características tão únicas e, ao mesmo tempo, com cara típica do que ocorre Brasil afora.

É bem verdade que uma metrópole como São Paulo necessita de mais metrô de fato. Hoje os ônibus fazem ainda o papel dos trilhos na cidade em muitas ligações. Mas não há como negar que, mesmo diante de todas as dificuldades, necessidades de melhorias e sem a infraestrutura adequada com uma modesta rede de aproximadamente 140 km de corredores, os ônibus ainda dão conta do recado.  E por mais que haja a expansão do sistema de metrô (o que deve ocorrer para ontem), o ônibus nunca perderá a importância em qualquer rede de transporte.

Veja algumas destas curiosidades:

1) Hoje, qual a linha mais longa da cidade? Qual quilometragem, qual tempo médio de viagem e qual empresa operadora?

A linha mais longa é a 477P/10 Ipiranga – Rio Pequeno, com percurso de 38,6 km no sentido ida e 39,7 km no sentido volta, operada pela Viação Sudeste. A programação para a linha está no quadro abaixo:

477P/10 Período Ida Volta
Tempo estimado de viagem (em minutos) Manhã 186 189
Entrepico 197 186
Tarde 200 192

2)  Qual a linha mais curta da cidade? Qual quilometragem qual tempo médio de viagem e qual empresa operadora?

A linha mais curta é a 372F/10 Univ. São Judas Tadeu – Metrô Bresser, com percurso de 1,8 km no sentido ida e 1,4 km no sentido volta, operada pela empresa Pêssego. A programação para a linha está no quadro abaixo:

372F/10 Período Ida Volta
Tempo estimado de viagem (em minutos) Manhã 15 12
Entrepico 14 13
Tarde 13 12

3)  Qual a linha mais movimentada da cidade? Quantos passageiros por dia útil?

A linha com a maior quantidade de passageiros é a 4310/10 E.T. Itaquera – Term. Pq. D. Pedro II, com aproximadamente 45 mil passageiros por dia útil (referência novembro).

4)  Qual a linha menos movimentada da cidade?  Quantos passageiros por dia útil?

A linha com a menor quantidade de passageiros é a 476L/10 Metrô Vl. Mariana – Lar Esc. São Francisco, com aproximadamente 100 passageiros por dia útil (referência novembro de 2019).

5)  Qual a linha mais antiga da cidade sem alterações significativas? Desde quando e qual empresa era antes e é hoje?

A linha que sofreu menos alterações foi a 5318/10 Chácara Santana – Pça. da Sé, que atualmente é operada pela Viação Campo Belo.

Ela foi criada em 9 de julho de 1977 como 5318/10 Chácara Santana – Pça. da Bandeira /Anhangabaú e era operada pela CMTC.

6)  Qual a empresa mais antiga da cidade em operação? Desde quando?

As empresas que operam no sistema desde a concessão de 2003 e foram vencedoras no último processo de licitação com assinatura dos contratos em 2019 são:

Viação Santa Brígida Ltda,

Viação Gato Preto Ltda,

Sambaíba Transportes Urbanos Ltda,

Viação Gatusa Transportes Urbanos Ltda,

Viação Campo Belo Ltda,

Transppass Transporte de Passageiros Ltda.

Nota do Diário do Transporte: A empresa em operação mais antiga do sistema, considerando todos os períodos do sistema, não somente os contratos de 2003, é a Viação Gato Preto, cuja origem é de 1927, fundada por Luiz Gatti, que até então dirigia um caminhão e entregava carvão para um bairro Gato Preto, que fica na área correspondente à cidade de Cajamar.

7)  Qual a linha que tem mais partidas e frota? Quanto?

A linha com a maior quantidade de viagens programadas é a 2202/10 Hosp. Itaim – CPTM Guaianazes, sendo 716 viagens ida + volta.

8)  Qual a linha que tem menos partidas e frota? Quanto?

A linha 6020/10 Chác. Bosque do Sol – Parelheiros realiza a menor quantidade de viagens, sendo 18 programadas em dias úteis (opera somente no sentido ida).

9)  Qual empresa tem mais ônibus? Quantos? (somando mais de uma garagem que possa ter)

Viação Metrópole Paulista, com 1.614 veículos.

10)  Qual empresa tem menos ônibus? Quantos?

UpBus Qualidade em Transportes, com 160 veículos.

11)  Qual a frota do Serviço Atende+? Quantas pessoas são atendidas?  

A frota do Serviço Atende+ é de 450 vans. Foram atendidas 5.383 pessoas com deficiência e 4.197 acompanhantes, em novembro de 2019, totalizando 9.580.

Nota do Diário do Transporte: O Atende é um serviço de transporte com vans especiais para pessoas que têm deficiências com alto grau de limitação.

12)  Qual a média de custo mensal de energia consumida pelos trólebus? (valores e quantitativos)

O custo mensal de energia dos trólebus é de R$ 1,92 por km, conforme dados da planilha tarifária.

Tipo de veículo Quilometragem mensal programada Índice de consumo de combustível (litro/km) (1) Preço por litro de combustível (2)
(R$)
R$/KM Total mensal Diesel / energia
(R$/mês)
  [ a ] [ b ] [ c ] [ d = b x c ] [ e = a x d ]
MICRO E MINIÔNIBUS 7.549.955 0,30 R$ 3,295 R$ 0,9884 R$ 7.462.238
MIDIÔNIBUS 6.049.051 0,40 R$ 3,295 R$ 1,3178 R$ 7.971.695
BÁSICO 9.879.105 0,46 R$ 3,295 R$ 1,5155 R$ 14.971.969
PADRON 8.170.296 0,55 R$ 3,295 R$ 1,8120 R$ 14.804.849
PADRON 15M 417.432 0,65 R$ 3,295 R$ 2,1415 R$ 893.928
ARTICULADO 3.985.155 0,71 R$ 3,295 R$ 2,3392 R$ 9.321.956
ARTICULADO 21M e 23M 2.321.071 0,75 R$ 3,295 R$ 2,4710 R$ 5.735.261
BIARTICULADO 270.481 0,80 R$ 3,295 R$ 2,6357 R$ 712.904
TRÓLEBUS 907.524 2,905 R$ 0,662 R$ 1,9233 R$ 1.745.440
COM AR CONDICIONADO
MICRO E MINIÔNIBUS 6.475.859 0,35 R$ 3,295 R$ 1,1564 R$ 7.488.727
MIDIÔNIBUS 8.101.635 0,47 R$ 3,295 R$ 1,5419 R$ 12.491.714
BÁSICO 3.829.436 0,53 R$ 3,295 R$ 1,7428 R$ 6.674.119
PADRON 12.761.225 0,63 R$ 3,295 R$ 2,0838 R$ 26.592.329
PADRON 15M 85.774 0,75 R$ 3,295 R$ 2,4627 R$ 211.236
ARTICULADO 807.067 0,80 R$ 3,295 R$ 2,6433 R$ 2.133.290
ARTICULADO 21M e 23M 5.448.963 0,85 R$ 3,295 R$ 2,7922 R$ 15.214.478
BIARTICULADO 0 0,90 R$ 3,295 R$ 2,9783 R$ 0
TRÓLEBUS 0 3,34 R$ 0,662 R$ 0,0000 R$ 0
ELÉTRICO 61.705 1,50 R$ 0,450 R$ 0,6750 R$ 41.651
TOTAL 77.121.734 R$ 134.467.785

13)  Qual a média de custo mensal de diesel consumido pelos ônibus? (valores e quantitativos)

O custo mensal do diesel é de R$ 1,74 por km (média ponderada), conforme dados da planilha tarifária acima.

14)  Por dia, em média, quantos quilômetros roda um ônibus na cidade de São Paulo?

O percurso médio diário de cada ônibus foi de 196 km, em novembro de 2019.

15)  Quantos passageiros, em média, leva um ônibus por dia no sistema?

A quantidade média de passageiros transportados diariamente por veículo é de 717 em dias úteis (referência novembro de 2019).

16)  Qual a região da cidade tem mais passageiros? Quantos e corresponde a qual porcentagem do sistema?

A área 7 (região sudoeste) transportou 1.402.525 passageiros por dia útil em novembro de 2019, representando cerca de 16% do total transportado pelo sistema.

17)  Qual a velocidade média dos ônibus em toda a cidade?

A velocidade média dos ônibus municipais em 2018 foi de 16 km/h em vias comuns, 20 km/h nas faixas exclusivas e 21 km/h nos corredores. O cálculo considera a velocidade no sentido centro no pico manhã.

18)  Qual índice de gratuidades na cidade (Total e por categoria)?

Gratuidades 23,8%
– Idosos 13,1%
– Pessoas com deficiência   3,3%
– Estudante     7,4%

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Rodrigo Anderson disse:

    Parabéns pela ótima reportagem.

  2. Rodrigo Zika! disse:

    Bacana os dados, parabéns Adamo.

  3. Alfredo disse:

    Entrei na Bristol em Outubro de 1992, alguns dias antes da linha 477P ser inaugurada, enfrentando muito trânsito a bordo de um Vitória OF 1315, prefixo 17785, tempos em que não havia o limite de velocidade e podíamos ir até 70km/h, algumas vezes, mesmo assim as vezes durava mais de 2 horas pra fazer o percurso só num sentido, imaginem hoje com essa velocidade ridícula de 50km/h, haja dor na coluna

  4. Leonardo disse:

    Quanto as empresas antigas:

    Temos empresas que estavam ativas ja nos anos 60: Santa Brigida, Sambaíba (leia-se Brasil Luxo),Viação Grajaú ( como Bola Branca), Gatusa entre outras.

    A sptrans podia dar uma resposta mais elaborada, ja que ela se diz herdeira da cmtc…

  5. Laurindo Junqueira disse:

    Dados de velocidades médias um pouco estranhos… Não condizem com os de 10 anos atrás. Boa matéria!

Deixe uma resposta para Rodrigo Anderson Cancelar resposta