Expresso Tiradentes é alvo de mais ataques em São Paulo

Publicado em: 14 de dezembro de 2019

Pelo menos outras três ocorrências foram registradas pela empresa entre a noite desta sexta-feira e a manhã deste sábado

ADAMO BAZANI

Colaborou Alexandre Pelegi

Os ataques a pedradas a ônibus do Expresso Tiradentes, sistema de corredor que faz a ligação entre o Terminal Mercado, na região central de São Paulo, e o Terminal Sacomã, na zona sudeste, continuam.

De acordo com a empresa Via Sudeste, operadora do sistema de ônibus em corredores, na noite de ontem um veículo foi atingido a pedradas. Ninguém se feriu.

Na manhã deste sábado, 14 de dezembro de 2019, houve mais dois ataques, sendo que um passageiro acabou sendo ferido no rosto.

Por volta das 11h:50, um outro veículo foi atacado, obrigando os passageiros a desembarcarem na canaleta do corredor.

A ocorrência está sendo encaminhada para o 8º DP na região.

O Diário do Transporte mostrou nesta sexta-feira, com exclusividade, que as ocorrências têm sido constantes. Relembre: Ônibus do Expresso Tiradentes têm sido alvos de ataques a pedradas

Segundo a empresa, neste ano foram até ontem 65 depredações.

O Sindicato dos motoristas e cobradores de ônibus (Sindmotoristas) se reuniu ontem com a GCM e a SPTrans.

A Guarda Civil Municipal disse que iria intensificar uma operação no local, mas de acordo com motoristas ouvidos pelo Diário do Transporte, hoje não havia nenhuma viatura da corporação.

O Diário do Transporte recebeu as seguintes notas da Secretaria de Segurança Pública e da GCM, através da Prefeitura de SP:


NOTA DA PREFEITURA DE SP:

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) informa que na última sexta-feira (13), realizou policiamento na região central entre o terminal Parque Dom Pedro e Sacomã, corredor do Expresso Tiradentes, com o intuito de inibir ataques de vandalismo que estavam acontecendo contra os veículos desta linha.

A GCM identificou que as pedras que atingiram os ônibus foram lançadas dos viadutos, a equipe da Inspetoria Regional de Operações Especiais (IOPE) realizou rondas no percurso e fez uma série de abordagens em pessoas que estavam nesses locais, mas nada que justificasse o encaminhamento para o Distrito Policial foi encontrado com os abordados.

A GCM esclarece que o patrulhamento foi realizado com uma viatura que percorria todo o trecho de circulação do Expresso Tiradentes. Para maior efetividade do policiamento, neste sábado (14), o trabalho foi intensificado com rondas diuturnamente. Motocicletas da equipe especializada IAMO estão apoiando essa ação.

A SPTrans reforça que repudia os atos de vandalismo e, em tais circunstâncias, contata a Polícia Militar e a Guarda Civil Metropolitana. Além disso, orienta as operadoras a registrarem o Boletim de Ocorrência.

Para conscientizar a população sobre a importância da conservação do transporte coletivo, a SPTrans realiza campanhas nas redes sociais e no Jornal do Ônibus.

Secretaria Especial de Comunicação – Prefeitura de São Paulo


viasul_pedrada2.jpg

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Alexandre Pelegi

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    Não é um acontecimento de fácil interpretação. Vai do exibicionismo ao vandalismo. No século passado, quando o Rio de Janeiro era capital
    da república, adolescentes lançavam paralelepípedos em trens-de-passageiros do subúrbio, de cima das travessias da estrada de-ferro.Belda

  2. Rodney disse:

    O pior é que isso vem do tipo de gente que mais se reproduz. Por isso essa cidade tornou-se refém dessa gente. É como eu ir na casa dos outros, cagar no meio da sala e ainda agir como dono da casa. E pior: o dono tem que ficar quieto, senão é acusado de um monte de baboseira pelo fato de querer zelar pelo lugar onde mora. A hipocrisia dominou o mundo. O discurso, a teoria e o parecer tornaram-se muito mais valiosos do que a atitude, a prática e o ser. Nas redes sociais todo mundo cobra todo mundo por qualquer deslize. Mas onde está essa gente quando saio nas ruas, que só vejo um pisando no outro o tempo todo agindo como trogloditas? Interessante, né?

    1. Everaldo disse:

      Parabéns pela lucidez da sua análise Rodney e ao mes.o tempo, por empatia, lamento pela sua solidão!!! Tenho certeza que você e os nossos iguais entenderão…. deveríamos nos unir!!

  3. Enfim o efeito da procriação desembestada da classe C e D, põe no mundo e dane-se a sociedade, e ainda culpa o estado por não dar apoio. Se em casa não há harmonia, e atenção à essa geração perdida…conheço muitos, seja no ABC, em Mogi, Jandira Carapicuiba, Guarulhos e Sumaré, em suas periferias onde o estado não vai..ah eu cuido de um desta geração, que não é meu, mas que infelizmente está caminhando pra isso em vila de MOgi, espero estar enganado

  4. Tânia disse:

    Sexta feira dia 13 presenciei encaminhei realizarem reportagem 22hs30 , saindo Estação D PEDRO II, sentido Sacoma coletivo foi apedrejado, machucando passageira, socorrida socorristas ônibus até terminal . Fomos informados fato ocorreu dia todo. Absurdo não terem colocado seguranças , nem buscarem soluções efetivas proteção, visando proporcionar segurança para usuários. Eu não pego mais ônibus nesse trajeto,enquanto não solucionarem. Só assim prejuízo prefeituras tome medida efetiva Inclusive enviei e-mail assessoria aguardando solução

  5. Agripino Leoncio disse:

    Isso é que dá OAB, STF, Congresso, Globo, Folha de SP todos juntos protegendo e glamourizando bandidos. A PM se atirar em um desses psicopatas vira o vilão da história. Em Paraisópolis não atiraram em ninguém, mas até o Dória colocou a culpa neles sendo que são os bandidos que usam os idiotas dos bailes como escudo humano.

  6. Eva Pereira disse:

    INFELIZMENTE SÃO PAULO, NÃO TEM NENHUMA SEGURANÇA, ATÉ ÔNIBUS ESTAMOS PROIBIDOS DE USAR, OU SEJA TEMOS QUE FICAR TRANCADOS EM CASA.NÓS TRABALHADORES EXIGIMOS NOSSOS DIREITOS DE IR E VIR COM SEGURANÇA.

Deixe uma resposta