CPTM amplia em nove meses contrato de projeto executivo de acessibilidade de estações da linha 8-Diamante

Publicado em: 7 de dezembro de 2019

Foto: Jessica Marques / Diário do Transporte

Divididos em 4 lotes, contratos abrangem 34 estações ao todo e visam a elaboração de projetos voltados à acessibilidade para pessoas com necessidades especiais

ALEXANDRE PELEGI

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) prorrogou por 9 meses o prazo de execução de um dos contratos destinados à adaptação parcial de estações para torná-las acessíveis a pessoas com necessidades especiais.

O Termo de Aditamento, publicado no Diário Oficial do Estado deste sábado, 07 de dezembro de 2019, refere-se apenas ao Lote 2 da Concorrência, que abrange as seguintes estações da Linha 8-Diamante: Imperatriz Leopoldina, Santa Terezinha, Comandante Sampaio, General Miguel Costa, Sagrado Coração, Antônio João e Júlio Prestes.

Assinados em 13 de abril de 2018, os contratos, no valor total de R$ 27,2 milhões, foram divididos em 04 lotes, cada qual reunindo estações de linhas diferentes, somando no total 34 estações.

O Lote 1 refere-se a 08 estações da Linha 7-Rubi, contrato assumido pela mesma empresa que venceu o Lote 2, High Tech Consultants Eireli. Já os Lotes 3 e 4, respectivamente, referem-se a 11 estações da Linha 10-Turquesa (contrato com a IEME Brasil Engenharia Consultiva Ltda) e 08 estações da Linha 11-Coral (contratada: GPO Sistran Engenharia Ltda).

lotes_estações_CPTM

Para o Lote 2 foi contratada a High Tech Consultants Eireli, no valor de R$ 1.950.856,51.

sintese_contrato_CPTM

A ampliação do prazo contratual por 9 meses, publicada neste sábado, tem valor de R$ 397.135,90 e visa readequar a planilha de quantidades e preços, com a inclusão de serviços adicionais e redução de quantitativos.

aditamento_cptm

ACESSIBILIDADE

Em dezembro de 2012, a CPTM e o Ministério Público Estadual assinaram um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) no qual a Companhia se comprometeu a oferecer acessibilidade em todas as estações até 2014. Após descumprimento do prazo, em 2017 as partes firmaram novo acordo, com prazos que vão até 2020.

Entre os itens considerados essenciais para acessibilidade total nas estações de trem estão sanitário masculino e feminino acessível, piso tátil, telefone adaptado para PCR, telefone para surdos, rampa, elevador, escadas rolantes, transposição de plataformas e rota acessível, de modo geral.

Conforme a lista de itens disponibilizados pela CPTM nas estações acessíveis, não foram observadas mudanças para diminuir o vão entre o trem e a plataforma. Em alguns casos, o espaço é considerado um problema para a locomoção de pessoas com deficiência.

Conforme reportagem publicada pelo Diário do Transporte em 18 de junho de 2018, quase 40% das estações da CPTM ainda não ofereciam acessibilidade, na data de publicação da reportagem.

Relembre: EXCLUSIVO: Quase 40% das estações da CPTM não oferecem acessibilidade

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta