BRT do Rio de Janeiro volta a circular na Avenida Cesário de Melo com linha experimental

Publicado em: 6 de dezembro de 2019

Estação do BRT foi reformada para retomada de operações. Foto: Prefeitura do Rio de Janeiro / Marco Antonio Rezende.

Objetivo é estudar viabilidade operacional na região

JESSICA MARQUES

O Consórcio BRT, do Rio de Janeiro, informou por meio de nota que a partir de segunda-feira, 09 de dezembro de 2019, o BRT volta a operar no eixo da Avenida Cesário de Melo com uma Linha Experimental de Coleta de Dados (LECD).

“Neste primeiro momento, será oferecido um serviço especial à população com o intuito de estudar a viabilidade operacional na região”, esclareceu o consórcio.

A partir das 6h, sairão os primeiros veículos do Terminal Campo Grande em direção ao Terminal Santa Cruz. O serviço semi-direto fará três paradas dentro deste trajeto nas estações: Cajueiros, Gastão Rangel e General Olímpio.

VANDALISMO E VIOLÊNCIA

O eixo da Avenida Cesário de Melo teve a operação interrompida em maio de 2018 após constantes casos de vandalismo e violência. Durante esse período, foi disponibilizado a linha 17 em ônibus convencional, que percorre o eixo da Cesário de Melo em pista regular. Ao todo, este trecho possui 22 estações e 12 quilômetros de extensão.

“Nós realizamos uma série de reuniões com órgãos municipais e forças de segurança para poder colocar em prática esta importante etapa do estudo técnico de viabilidade operacional. Agora que nos foi dado este sinal verde, vamos operar com a LECD e investigar a demanda dessa região. Precisamos entender novamente o perfil dos passageiros para atender com número correto de veículos e horários de suas demandas. O retorno do BRT nesse trecho sempre foi uma das prioridades da minha gestão e estamos empenhados a retomá-lo gradativamente”, disse o presidente executivo do BRT, Luiz Martins, que assumiu o consórcio há três meses.

A primeira fase do processo de volta gradual da operação do BRT no trecho da Cesário de Melo conta com um planejamento construído em conjunto com o poder público.

“O retorno da operação em sua totalidade no trecho da Cesário de Melo tem uma certa complexidade, pois demanda um esforço coletivo. Algumas estações foram completamente destruídas e precisarão ser reconstruídas. Em outras, pessoas em situação de rua precisam de acolhimento. Veículos de passeio estão circulando nas pistas exclusivas e fazendo retornos improvisados. Por isso, é primordial o envolvimento de órgãos municipais das áreas de assistência social, conservação, trânsito, além de forças de segurança”, detalhou Martins.

INFRAESTRUTURA

Inativo há cerca de um ano e meio, o Terminal Campo Grande recebeu melhorias de infraestrutura para reabrir nesta segunda-feira, segundo o consórcio. As instalações elétricas e hidráulicas foram refeitas, além da colocação de vidros, novas catracas, iluminação e sistemas de rede.

“Como foi um longo período sem a circulação do BRT na região, uma grande parte da população passou a utilizar as pistas exclusivas para atividades de lazer ou mesmo circulação de pedestres. Por esta razão, batedores virão à frente dos veículos para alertar que o BRT se aproxima. Orientadores também estarão a postos no Terminal Campo Grande para tirar todas as dúvidas dos passageiros.”

Conforme determinação da Secretaria Municipal de Transportes, o intervalo de saída dos veículos da Linha Experimental de Coleta de Dados será de 30 minutos. O serviço será oferecido diariamente das 6h às 22h. A linha 17 continuará em operação.

A recuperação da estação de Campo Grande inclui ainda fiação elétrica, catracas, banheiro, máquina de autoatendimento e sistema de rede integrada ao Riocard. A obra orçada em R$ 400 mil é custeada pelo Consórcio BRT, segundo informações da Prefeitura.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

Deixe uma resposta