Rodoviários do sistema Transcol aceitam proposta de reajuste e descartam greve

Publicado em: 4 de dezembro de 2019

Duas assembleias realizadas ao longo do dia acataram índice proposto pelo TRT

ALEXANDRE PELEGI

Os motoristas de ônibus do Transcol, no Espírito Santo, aceitaram a proposta do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES) de reajuste de 3,04% nos salários.

A proposta foi apresentada pela desembargadora Ana Paula Tauceda em reunião de conciliação há alguns dias, e representa recuperação da perda inflacionária mais ganho real. Relembre: Suspensa a greve dos rodoviários do Transcol, no Espírito Santo

Pelo compromisso assumido na reunião de conciliação, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Espírito Santo (Sindirodoviários), que representa a categoria, ficou de realizar assembleias nesta quarta-feira, 04 de dezembro de 2019, para deliberar sobre o resultado das negociações com os empresários, que transcorreram desde segunda-feira até hoje pela manhã.

As empresas de ônibus haviam oferecido 2,54%, mas no final da tarde desta quarta-feira, em reunião no Ministério Público do Trabalho (MPT), os trabalhadores se reuniram para fechar a negociação com o GVBus, Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória.

Em nota em sua página do Facebook, o Sindirodoviários resumiu a decisão da categoria:

Em duas assembleias realizadas hoje, a categoria votou por acatar o reajuste de 3,4% nos salários e plano de saúde e de R$1,00 por dia no tíquete alimentação. As demais cláusulas da atual Convenção Coletiva de Trabalho permanecem as mesmas.

Nas duas assembleias o presidente do Sindirodoviários falou para a categoria sobre as dificuldades que foram enfrentadas para se chegar a uma negociação que evoluísse para melhorar a proposta inicial dos patrões. A intransigência patronal encontrou resistência na categoria e também na Justiça do Trabalho, o que levou à mediação da greve pelo TRT e pelo Ministério Público do Trabalho.

É preciso entender a hora de avançar na resistência ou de recuar taticamente para organizar melhor a categoria. Estamos juntos na luta por dias melhores para a categoria rodoviária.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta