FlixBus vai ter frotas integrais de ônibus 100% elétricos para viagens de longa distância

Publicado em: 25 de novembro de 2019

Em parte da Europa, já há ônibus elétricos pela FlixBus

Meta é para 2030, mas com início imediato. Biogás e hidrogênio também estão nos planos

ADAMO BAZANI

A FlixBus, empresa de transporte rodoviário sob demanda que atua em parte das Europa e da América do Norte, anunciou parceria com a agência de propriedade e inovação MCI para desenvolver um ônibus rodoviário 100% elétrico para viagens de longa distância.

Segundo a imprensa internacional, o primeiro teste com os modelos conceitos D45 e Le Charge ocorreu numa viagem de ida e volta entre São Francisco e Sacramento, nos Estados Unidos, o que dá em torno de 2h15 de trajeto em cada sentido. Mas segundo a FlixBus, é só um começo.

A estimativa é que até 2030, ônibus rodoviários elétricos possam fazer trajetos entre seis e sete horas com uma carga. Seria o equivalente à rota Rio – São Paulo no Brasil.

Na França e na Alemanha, a FlixBus também opera desde 2018 ônibus rodoviários elétricos.

A primeira rota foi em abril de 2018, entre Paris e Amiens, em França.

Em outubro de 2019, na Alemanha, foi a vez de uma rota receber ônibus rodoviários elétricos, entre Frankfurt e Mannheim. O carregamento das baterias conta com apoio Greenpeace Energy.

Para distâncias menores, a FlixBus pretende já a partir de 2020 ter ônibus livres de emissões em rotas como Los Angeles a San Diego, São Francisco a Sacramento, Portland a Seattle e Nova Iorque a Filadélfia.

Além da energia elétrica, o hidrogênio e o biogás estão nos planos da empresa.

Segundo um comunicado da FlixBus, estudos encomendados pela empresa indicam que os ônibus a hidrogênio possuem uma autonomia de 500 quilômetros. O projeto de rotas com ônibus a hidrogênio está sendo desenvolvido com a Freudenberg Sealing Technologies da Alemanha.

Já quanto aos ônibus a biogás, o objetivo é iniciar testes já em 2020 na Alemanha, Itália e a região do Benelux – Bélgica, Luxemburgo e Holanda, onde há maior disponibilidade deste tipo de combustível.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta